Sábado, 25 de Maio de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Tempo nublado
14°
13°
13°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo nublado
Colunista e Opinião

O Rio Grande do Sul combate a violência

25.03.2014 17h45  /  Postado por: upside

Airton Michels

Secretário da Segurança Pública do RS

Enfrentar a criminalidade e a violência é um compromisso que o Governo do Estado assumiu e honra em todas as ações da Secretaria de Segurança Pública. Os resultados não surgem tão rapidamente quanto se gostaria, mas é importante que a população saiba que tratamos este tema com toda a importância que tem na vida de cada um de nós.

Acreditamos na qualificação das nossas estruturas, com maiores investimentos na ampliação do efetivo, na valorização dos servidores e em políticas inovadoras. É isso que temos feito. O volume de recursos destinados à Brigada Militar, à Polícia Civil, ao Instituto-Geral de Perícias e à Superintendência dos Serviços Penitenciários será, no total, de R$ 9,3 bilhões, 63% a mais que o repassado entre 2007 e 2010.

Centenas de novas viaturas já foram entregues em todas as regiões. Além de comprar carros, armas e equipamentos, o Estado tem formado novos servidores. Até agora, já são mais 2.040 brigadianos e 638 bombeiros. Na Polícia Civil, houve o ingresso de 732 agentes e 48 delegados. Até o final do ano, mais 700 policiais estarão formados. Também foram contratados 1.021 servidores para o sistema penitenciário.

Para combater o assassinato — o mais grave dos crimes — a Secretaria da Segurança Pública (SSP) criou Delegacias de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa em 11 municípios, potencializando o trabalho da Polícia Civil. A resolução dos casos e o apontamento dos responsáveis tornaram-se o foco principal dessas setorizadas. Após essa medida, o índice de esclarecimento de homicídios aumentou 133% de 2012 para 2013.

O combate à impunidade possibilitou a redução de 5,52% no número de homicídios nesse mesmo período. Ainda que pequeno, o índice é significativo, pois representa 110 vidas.

A SSP também investe em ações preventivas como a Polícia Comunitária, inédita no país, que trabalha a intermediação de conflitos no cotidiano da população. São formados núcleos com até quatro policiais, uma viatura nova e os servidores recebem armas, coletes a prova de balas, rádios, algemas e bicicletas, em uma parceria entre a SSP e as prefeituras, que oferecem infraestrutura para os servidores.

Hoje, 14 municípios têm o projeto, com um investimento de R$ 11 milhões. Até junho de 2014, 23 municípios terão Polícia Comunitária, somando 147 núcleos no Estado. Caxias do Sul foi a cidade pioneira, onde o projeto existe desde 2012. Após a implantação, os homicídios nos bairros com policiamento comunitário diminuíram mais de 50%.

É assim que a Segurança Pública é trabalhada no Rio Grande do Sul: com grandes volumes de recursos e iniciativas inovadoras. Os resultados já aparecem e são representativos de uma política preocupada em recuperar e modernizar nossas estruturas de proteção.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.