Sábado, 26 de Setembro de 2020
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 54 9 9932 7709
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Parcialmente nublado
32°
16°
28°C
Não-Me-Toque/RS
Parcialmente nublado
Ao Vivo:
Geral

CRISE NA SAÚDE

17.07.2015 16h31  /  Postado por: upside

Hospital adota medida de economia para manter atendimento

Crise que já fechou leitos do SUS em 15 hospitais gaúchos provoca medidas de alerta em Não-Me-Toque

Crise que já fechou leitos do SUS em 15 hospitais gaúchos provoca medidas de alerta em Não-Me-Toque

Estado deve mais de R$ 600 mil só neste primeiro semestre para o Hospital Notre Dame Júlia Billiart
O não pagamento dos repasses de recursos para a área da saúde pelo Governo do Estado gerou estado de alerta nessa semana para o Hospital Notre Dame Júlia Billiart. A atual situação em que a saúde do Rio Grande do Sul se encontra não é segredo para ninguém. Como resultado, já são pelo menos 15 hospitais fechados ou com atendimentos suspenso em função da falta de dinheiro, são centenas de pessoas sem atendimento todos os dias.
Segundo o coordenador administrativo da rede de Hospitais Notre Dame, Rafael Scolari, os hospitais são apenas prestadores de serviços:
– A responsabilidade de nos dar suporte e possibilitar o atendimento à população é do Governo do Estado, nossas instituições realizam esses atendimentos.Infelizmente não é este o atual cenário da saúde no Estado.
Desde o início do ano, o Hospital ND Júlia Billiart realizou 85 cirurgias, 377 internações, 5.824 atendimentos de urgência e 9.425 exames, todos via convênio SUS. Deste montante apenas 25% do valor foi repassado pelo Governo do Estado.
Outro ponto destacado por Rafael Scolari é que para a realização de todos esses atendimentos e procedimentos, o hospital conta com uma equipe de 20 médicos e 92 funcionários, que também vem sofrendo as consequências da crise, como o atraso no pagamento do décimo terceiro salário.
Na tarde de 6 de julho, o coordenador administrativo do Hospital Julia Billiart, Daniel Griep, anunciou ao seu quadro de gestores, que o “sinal de alerta” foi ligado. Com R$ 641,668,89 por receber do Estado apenas no primeiro semestre deste ano, Daniel destaca que a contenção de despesas é inevitável nesse momento:
– Chegamos ao ponto, em que o corte de despesas é imprescindível para mantermos nossos serviços.
Sob gestão da Congregação de Nossa Senhora, que trabalha com o lema do cuidado ao próximo, o Hospital Notre Dame Júlia Billiart, como forma de amenizar a situação, optou neste primeiro momento pela redução de gastos. Assim, a partir de julho, o hospital passa a trabalhar com a adequação de horários entre os funcionários, diminuição do estoque, além da redução com gastos como: luz, água, telefone, produtos de higiene e copos plásticos.
Vale destacar, que estas são medidas de prevenção para o não cancelamento dos serviços hospitalares SUS, em virtude da crise na saúde do estado.
– O pedido de auxílio na contenção de gastos e a compreensão da situação estendem-se a população usuária dos nossos serviços – destaca Daniel Griep.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.