Passo Fundo/RS: Tempo nublado
Carazinho/RS: Tempo nublado
Passo Fundo/RS: Tempo nublado
Carazinho/RS: Tempo nublado

Notícias

29 de fevereiro de 2016

O ano de 2016 é bissexto. Entenda o que isso significa

A cada quatro anos o mês de fevereiro tem um dia a mais
A cada quatro anos o mês de fevereiro tem um dia a mais

 29 de fevereiro

Ptolomeu III, em 238 a.C. no Egito, decretou a adição de 1 dia a cada 4 anos para tentar compensar a diferença existente entre o ano do calendário e o ano solar, que é o tempo que o Planeta Terra leva para girar em torno do sol e gerar as quatro estações do ano. O ano solar tem aproximadamente 365,25 dias, ou seja, 365 dias e 6 horas.

Por causa desse excesso de 6 horas, que de 4 em 4 anos somava 24 horas, foi acrescentado um dia a mais nos anos que são considerados bissextos, para evitar um transtorno nas datas do calendário e no início das estações.

Infelizmente, nessa época as pessoas não seguiram as regras do ano bissexto, assim vários dias ficaram acumulados e o calendário ficou desregulado.

Foi então que quase 200 anos depois, em 46 a.C., o imperador romano Júlio Cesar resolveu retornar às idéias helenísticas de Ptolomeu III. Júlio César tentou corrigir o sistema de contagem do calendário para tentar desfazer o erro de mais de 3 meses acumulados desde a criação do ano bissexto, e assim criou o 'Calendário Juliano' com a ajuda do astrônomo grego Sosigenes.

Nesse calendário estava decretado as seguintes determinações:

  •  O ano de 46 a.C. Deveria ter 445 dias, para compensar os dias acumulados até a data;
  •  Os dias dos meses foram fixados na sequência de 31,30,31,30... de janeiro a dezembro, com excessão de fevereiro, que ficou com 29 dias e a cada 3 anos teria 30;
  •  O deslocamento do início do ano romano, que era no dia 1º de março e foi para o dia 1º de janeiro.

Por causa de todas essas modificações, o ano de 46 a.C. Ficou conhecido como o 'ano da confusão'. Mesmo com os esforços para o cumprimento dos anos bissextos, a determinação só foi aplicada corretamente até o ano de 8 d.C.

Em 8 d.C., o imperador Augusto resolveu mudar a regra de inclusão de um dia no calendário a cada 3 anos, para 4 em 4 anos. O mês de fevereiro passou a ter apenas 28 dias e nos anos bissextos, 29.

Na Idade Média, houve outra mudança no calendário, feita pelo Papa Gregório XIII, no ano de 1582. Gregório resolveu reunir um grupo de especialistas que passaram cerca de cinco anos estudando as alterações do calendário, até que então foi criado o Calendário Gregoriano, que entrou em vigor no dia 15 de outubro de 1582.

Esse calendário é o utilizado atualmente pela maioria dos países, com excessão da China, Israel, Irã, Índia, Paquistão, Argélia e etc, maioria países orientais. Nele foram estabelecidas as regras de ano bissexto que conhecemos hoje: são bissextos os anos múltiplos de quatro, que não são múltiplos de 100, com excessão dos múltiplos de 400.

A primeira medida a ser tomada foi um descontamento de 10 dias do mês de outubro de 1582, que tinha como objetivo a correção para o erro que havia se acumulado a muito tempo. Assim, neste mês, o calendário de outubro saltou do dia 4 para o dia 15, para evitar erros no futuro.

Ao levar em consideração a diferença de um ano Juliano, que era de 0,0078 dia a mais que o ano solar, no final de 1 século essa diferença chegava a atingir 0,78 dia, que é aproximadamente ¾ de um dia. Assim, ao final de cada 400 anos haveria uma diferença de aproximadamente 3 dias no calendário. A solução encontrada para o problema foi eliminar 3 anos bissextos em cada 400, ou seja, a partir do ano de vigor do Calendário Gregoriano, em 1592, só poderiam existir 97 anos bissextos a cada 400 anos.

FONTE: http://ano-bissexto.info/

TAGS: ano bissexto

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir