Sábado, 24 de Agosto de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Estrelado
20°
7°C
Não-Me-Toque/RS
Estrelado
Destaques

Tributo a um querido educador

06.01.2017 16h09  /  Postado por: upside
Orlanda e os filhos, Luiz Estanislau, Júlio César e Ângelo receberam cópia da Lei Nº 4.785, de 29 de novembro de 2016

Orlanda e os filhos, Luiz Estanislau, Júlio César e Ângelo receberam cópia da Lei Nº 4.785, de 29 de novembro de 2016

 Administração presta homenagem ao Professor Borghetti denominando nova e escola com seu nome

Uma das maiores obras na área da educação do Governo Municipal de Não-Me-Toque, a Escola de Ensino Fundamental com 12 salas, que está sendo construída no bairro Vila Nova, vai receber o nome Professor Iraldo Ângelo Borghetti.

Proposta pelo vereador Valdir Alberi Kirst, a homenagem aprovada se tornou a Lei Nº 4.785, de 29 de novembro de 2016. No dia 16 de dezembro, a prefeita Teodora Lütkemeyer, acompanhada do autor do projeto de lei, o vereador Valdir, da secretária de Educação, Cultura e Desporto Griselda Blau, da secretária Adjunta Nilce Fraporti e do vice-prefeito eleito, Pedro Paulo Falcão da Rosa, recebeu familiares do professor Borghetti (falecido em julho de 2014), para entregar uma cópia da Lei que institui a homenagem ao professor em reconhecimento a sua dedicação à educação de jovens e em Não-Me-Toque.

A prefeita Teodora ressalta a honra em poder prestar esta homenagem ao professor Borghetti, lembrando que seus ensinamentos contribuíram para a formação de centenas de alunos.

– Homenagear um professor que tanto fez pela educação dos nossos jovens, denominando a maior escola já construídas em Não-Me-Toque é gratificante para nós, pois é uma forma de reconhecimento a quem tanto fez por amor a sua profissão e ao dom de ensinar – disse a prefeita.

– Em nome da família, agradecemos à Administração Municipal, na pessoa da prefeita Teodora Lütkemeyer, ao vereador Valdir Kist, autor da lei, aos demais integrantes do Legislativo, pela aprovação unânime do projeto. Quero registrar nossa alegrai com tão bela homenagem ao nosso querido esposo e pai, que tanto amou a educação dedicando a vida na formação de seus alunos – manifestou-se Orlanda Borghetti.

 

A nova Escola

A escola chamada até então de “12 salas”, orçada de R$ 3.534.000,00 tem seu projeto em fase de execução. Os recursos são provenientes do Ministério da Educação (MEC), e atendem ao projeto elaborado pela Administração e encaminhado através do Plano de Ações Articuladas (PAR).

Construída no Bairro Vila Nova, onde também está sendo projetado o Residencial Vila Nova, proximidades da Escola do Senai, conta com uma área de 2.945m², sendo destes 900m² para uma quadra esportiva coberta. O restante da área será ocupado pelas 12 salas, biblioteca, refeitório, cozinha, secretaria, banheiros e todas as instalações de uma escola padrão.

 

Um pouco da História de Iraldo Borghetti

17/05/1941 - 22/07/2014

17/05/1941 – 22/07/2014

O quarto filho do casal de agricultores Guilhermino e Rosalina Borghetti, nascido em 17 de maio de 1941, com seu irmão gêmeo Ivaldo, no município de Selbach, desde a infância aprendeu a enfrentar as dificuldades com trabalho e fé.

Ainda com os nove filhos pequenos, a família veio residir em Vila Seca, interior de Não-Me-Toque, onde Iraldo e os irmãos frequentaram a escola pública da localidade, que oferecia ensino até a quarta série primária.

Sentido o chamado à vida religiosa e com o incentivo dos pais, Iraldo foi estudar no Seminário Seráfico São Francisco de Assis, em Taquari, onde recebeu sólida e profunda formação intelectual, humana e cristã, durante sete anos. Aos 19 anos, prestou serviço militar para o Exército Brasileiro, no quartel de Uruguaiana.

De volta a Não-Me-Toque, firmou namoro com a jovem professora Orlanda Gräbin. Nessa época, Iraldo já era professor em Vila Seca e em Boa Vista. Após dois anos de namoro, decidiram se casar, cerimônia realizada no dia 5 de janeiro de 1965, na Igreja Matriz Cristo Rei, em Não-Me-Toque.

Os primeiros anos de união matrimonial foram difíceis pela condição econômica, porém muito felizes. O casal já estava residindo na cidade e Iraldo lecionava pela manhã no Ginásio São Francisco Solano, dos freis franciscanos, à tarde, em Vila Seca, retornando para casa à noite. Mais tarde, Iraldo e a fiel companheira Orlanda buscaram a qualificação na área do magistério e se formaram juntos em Biologia, pela Universidade de Passo Fundo, no ano de 1980.

Da união matrimonial nasceram três filhos: Luiz Estanislau, Júlio César e Ângelo. Com grande amor e dedicação à família, Iraldo e Orlanda educaram seus filhos com esmero, procurando transmitir valores e princípios humanos e cristãos. Consideravam a família o fundamento da sociedade.

Iraldo destacou-se como professor no Ginásio São Francisco Solano, no Colégio São José Notre Dame e na Escola Sinodal Sete de Setembro, sendo um mestre exigente, porém muito dedicado aos alunos, esforçado em fazê-los aprender. Deixou marcas na vida escolar como uma pessoa alegre, com grande capacidade de interação e comunicação com as direções, colegas e alunos. Tinha grande amor à profissão, sendo um exemplo em sala de aula e na sociedade.

Na vida comunitária teve participação ativa como na liturgia das missas, no Conselho Pastoral Paroquial, na Pastoral Vocacional, no Curso de Noivos e na apresentação do programa A Hora Católica. Como era um homem muito religioso, amava a Jesus Cristo e à Igreja, marcava presença nas ações comunitárias e nas relações com as pessoas. Também teve atuação em diretorias do Lar do Idoso São Vicente de Paulo e no Conselho Comunitário do Hospital Notre Dame Júlia Billiart.

No ano de 1994, o professor Iraldo se aposentou pelo Estado, mas continuou a dedicar ao magistério até o ano de 1999, completando 39 anos de serviços à educação e centenas de adolescentes, jovens e adultos de Não-Me-Toque e da região.

Já aposentado, gostava de estar reunido com a família, de ler, cultivar sua horta e viajar.

Mesmo cometido por grave enfermidade, não deixou de rezar e agradecer a Deus todos os dias pela vida, sendo assistido pela família e pelos amigos até o último dia de sua vida. Morreu em 22 de julho de 2014, deixou como legado a fé, a retidão de caráter, a importância de ser grato a tudo que a vida oferece.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.