Quarta-feira, 19 de Junho de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Estrelado
17°
17°C
Não-Me-Toque/RS
Estrelado
Destaques

Projeto da UPF aproxima profissionais e acadêmicos do mercado de trabalho

Projeto da UPF aproxima profissionais e acadêmicos do mercado de trabalho
Programa conta com três tipos de integração: acadêmico-empresarial, serviços tecnológicos e colaborativo
12.11.2018 14h39  /  Postado por: helaine

Programa conta com três tipos de integração: acadêmico-empresarial, serviços tecnológicos e colaborativo

A Agência de Inovação e Tecnologia da Universidade de Passo Fundo (UPFTEC) tem buscado, por meio de projetos e ações, aproximar ainda mais a Instituição da comunidade local e regional. Uma das formas encontradas é o Programa Interação UPF Empresas, que visa intensificar a realização de projetos, parcerias e vivências da Universidade com empresas dos mais diversos setores.

De acordo com o coordenador do UPFTEC, Giezi Schneider, as ações já são desenvolvidas há algum tempo, mas o objetivo do programa é ampliar essa aproximação entre as duas partes.

– Queremos, na verdade, adotar uma postura mais proativa, a partir da qual a UPF, seus professores e alunos, estejam à disposição das empresas para a realização de diferentes atividades conjuntas. Atualmente, temos vários projetos sendo desenvolvidos, mas temos a convicção de que muitos outros poderão ocorrer desde que sejam identificadas as oportunidades tanto do lado da UPF quanto do lado das empresas – explica.

Neste momento, o Programa conta com três tipos de integração. A integração acadêmico-empresarial, que visa à avaliação e à proposição de soluções para estudos de casos de empresas, em diferentes temas, para serem debatidos e resolvidos em sala de aula. A área de serviços tecnológicos, cujo objetivo é ampliar a divulgação dos serviços tecnológicos já prestados pela UPF, bem como identificar outros serviços que, por demanda, podem oferecer soluções, tais como análises, pareceres, validações e laudos, utilizando a infraestrutura laboratorial e as competências dos nossos professores. Por fim, os projetos colaborativos visam à identificação de problemas de pesquisa e ao desenvolvimento de interesses comuns à empresa e à UPF, bem como à execução de projetos com a efetiva participação.

Como participar

Segundo Schneider, o grupo realiza uma espécie de levantamento de competências e interesses dos professores. Nesse sentido, o professor da UPF que quer desenvolver atividades com empresas deve registrar esse interesse em formulário próprio, que lhe será disponibilizado por e-mail.

– A partir desse levantamento, constituiremos um banco de oportunidades, por área do conhecimento, e definiremos estratégias de prospecção e efetivação dessas atividades com empresas, inclusive aquelas indicadas pelos próprios professores no preenchimento do formulário – ressalta.

Para ele, o programa fortalece as atividades de transferência de tecnologia, permitindo que aquilo que é produzido na Universidade esteja ainda mais ao alcance das empresas e da comunidade. Por outro lado, também aproxima os professores e alunos das realidades e necessidades regionais, qualificando os processos de ensino e aprendizagem, de pesquisa e extensão, e ampliando a empregabilidade dos acadêmicos.

Assessoria de Imprensa UPF
Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.