Terça-feira, 23 de Abril de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Parcialmente nublado
26°
16°
16°C
Não-Me-Toque/RS
Parcialmente nublado
Destaques

Casal retorna do Tocantins com sintomas de dengue

Secretaria da Saúde aguarda resultado de exames para confirmação ou não do vírus. Alguma áreas ondo o casal circulou foram detetizadas
Casal retorna do Tocantins com sintomas de dengue
Mosquito da Dengue
19.01.2019 11h24  /  Postado por: helaine

 

Sintomas da dengue

A cidade de Não-Me-Toque está em alerta para o contágio da Dengue. Um casal com residência em Não-Me-Toque procurou atendimento médico no Hospital Notre Dame Júlia Billiart, na sexta-feira (11), após retornar de viagem feita no estado do Tocantins, realizado no fim do ano passado.  O casos se confirmado o resultado de dengue, abre sinal de alerta para aumento de contaminação, porque o mosquito transmissor da dengue existe na cidade em grande quantidade, apesar das campanhas e alertas para cuidados com água parada.

Ciclo da doença que pode matar

Os sintomas de dor muscular, febre e náuseas chamaram atenção do médico. O secretário municipal da Saúde, Marco Antônio da Costa, informou em entrevista a rádio Ceres, que a “probabilidade de terem pegado dengue, devido aos sintomas apresentados”. Suspeita de febre amarela e chikungunya não foi descartado.

A equipe epidemiológica da Secretaria da Saúde aplicou inseticida na região de maior circulação destas duas pessoas, que residem na região central. O perigo surge com excesso de chuvas de verão, atrasando trabalho de vistoria dos terrenos por parte da equipe epidemiológica. Segundo o secretário da Saúde, com atual cenário, aumenta importância da população na prevenção.

– O município vive uma situação de risco de maior contaminação a outras pessoas. A dengue tem ganhado terreno no RS com invernos mais fracos – salientou.

Mosquito da Dengue

A secretaria, segundo Costa, já trabalhava com esta possibilidade de risco que “existe e é eminente e temos que controlar para não haver uma epidemia”.  A melhor forma de prevenção no combate ao mosquito da Aedes aegypti é não deixar nascer evitando os criadouros na água parada: caixas de água, piscinas, potes de água de animais domésticos, tampas e potes de flores.  Apesar do uso de inseticida a ação é paliativa. O casal foi orientação de diminuir a circulação em área externa.

A transmissão da dengue ocorre através da picada do mosquito Aedes que, após um período de 10 a 14 dias após ter sido contaminado ao alimentar-se de sangue humano com o vírus da dengue, pode transportar o respectivo vírus durante toda a sua vida. A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa.

Existem quatro tipos de vírus causador da dengue com quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. A infecção por um deles dá proteção para o mesmo sorotipo e imunidade parcial e temporária contra os demais. A dengue hemorrágica acontece quando a pessoa infectada com o vírus da dengue sofre alterações na coagulação sanguínea. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte.

Qualquer um dos quatro sorotipos da dengue pode causar dengue hemorrágica. Dificilmente a dengue hemorrágica acontece quando a pessoa é infectada pela primeira vez, mas as chances aumentam na segunda, terceira ou quarta infecções.

Ciclo e transmissão da Dengue

Onde o mosquito pode procriar

O ciclo de transmissão ocorre do seguinte modo: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água. Ao saírem dos ovos, as larvas vivem na água por cerca de uma semana. Após este período, transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas. O Aedes aegypti procria em velocidade prodigiosa e o mosquito da dengue adulto vive em média 45 dias. Uma vez que o indivíduo é picado, demora no geral de três a 15 dias para a doença se manifestar, sendo mais comum cinco a seis dias.

A transmissão da dengue raramente ocorre em temperaturas abaixo de 16° C, sendo que a mais propícia gira em torno de 30° a 32° C – por isso a doença se desenvolve mais em áreas tropicais e subtropicais. A fêmea coloca os ovos em condições adequadas (lugar quente e úmido) e em 48 horas o embrião se desenvolve. É importante lembrar que os ovos que carregam o embrião do mosquito da dengue podem suportar até um ano a seca e serem transportados por longas distâncias, grudados nas bordas dos recipientes. Essa é uma das razões para a difícil erradicação do mosquito. Para passar da fase do ovo até a fase adulta, o inseto demora dez dias, em média. Os mosquitos acasalam no primeiro ou no segundo dia após se tornarem adultos. Depois, as fêmeas passam a se alimentar de sangue, que possui as proteínas necessárias para o desenvolvimento dos ovos.

Onde se deve manter cuidados para não deixar ambiente favorável para a fêmea do Aedes aegypti depositar seus ovos

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.