Quinta-feira, 14 de Novembro de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Tempo nublado
26°
18°
20°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo nublado
Destaques

Máquinas trabalham na ERS-142

Obras na ERS-142 recuperam 18 quilômetros e incluem sete pontos de terceira faixa
Máquinas trabalham na ERS-142
Obras de restauração do pavimento e terceira faixa em sete pontos somam investimento de R$ 20 milhões, recursos do Banco Mundial
31.03.2019 16h01  /  Postado por: helaine

Obras de restauração do pavimento e terceira faixa em sete pontos somam investimento de R$ 20 milhões, recursos do Banco Mundial

Aguardada há mais de 40 anos, a recuperação do trecho da ERS-142 entre Carazinho e Não-Me-Toque começou. Como anunciado pelo governador Eduardo Leite na abertura da 20ª Expodireto, no dia 11, equipes da empresa MAC Engenharia – contratada via licitação para as obras – estão desde o dia 19 d emarço na rodovia para melhorar as condições de tráfego dos 18 quilômetros entre os dois municípios.

Coordenados pela Secretaria de Logística e Transportes por meio do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), os trabalhos começaram com a marcação do trecho a ser restaurado. Nesta quarta-feira (20), as máquinas iniciaram as operações. O investimento chega a R$ 20 milhões, oriundos de financiamento do Banco Mundial (Bird).

Segundo o secretário Juvir Costella, o trabalho do governo do Estado foi determinante para a garantia dos recursos.

– Seguimos a orientação do governador Eduardo Leite e, em conjunto com a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão e o Daer, conseguimos prorrogar o prazo para a execução dessa importante obra e garantir o recursos do Banco Mundial – afirmou.

Aguardada há mais de 40 anos, a reforma do trecho da ERS-142 entre Carazinho e Não-Me-Toque começou

Além da restauração do pavimento, dos dispositivos de drenagem – como bueiros, canaletas e sarjetas – e da sinalização, o trecho previsto em contrato receberá terceiras faixas em sete pontos.

– Trata-se de uma estrada com tráfego médio de 4 mil veículos por dia e intensa circulação de cargas. A ampliação da capacidade deve favorecer, sobretudo, o fluxo maior durante o período de safra – disse Sívori Sarti da Silva, diretor-geral do Daer.

Pavimentada no ano de 1957 a rodovia já recebeu diversos reparos. A escavação para as obras de reforma mostra a fina camada e a fragilidade da pista para o tráfego atual

As obras integram o Contrato de Restauração e Manutenção de Rodovias (Crema) da Região de Passo Fundo–Cruz Alta. O prazo para a conclusão dos trabalhos é de 90 dias.

Texto: Júlio Cunha Neto/Ascom Selt
Edição: Marcelo Flach/Secom e Helaine Gnoatto Zart/A Folha
Fotos; Felipe Keller/A Folha

Estimativa vai ultrapassar os 90 dias previstos inicialmente pelo projeto

Obra foi anunciada pelo governador Eduardo Leite na abertura da 20ª Expodireto, no dia 11 de março

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.