Quarta-feira, 20 de Novembro de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Tempo limpo
31°
18°
18°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo limpo
Destaques

Celito Zuffo é o mais votado na eleição do Conselho Tutelar

Celito Zuffo é o mais votado na eleição do Conselho Tutelar
Comissão trabalhou desde o início do ano no processo eleitoral
14.10.2019 14h51  /  Postado por: helaine

O técnico veterinário, Jorge Celito Zuffo, foi o mais votado entre os cinco cândidos eleitos efetivos na eleição do Conselho Tutelar. A eleição ocorreu no domingo, 6 de outubro. O candidato obteve um total de 187 votos. Os demais eleitos titulares são: Derli Vargas (161), Iara Wentz (139), Adriana da Silva (119) e Luciane Juchem (118). Ficaram como suplentes: Enir Salete Mariani (104), Profe Livania (94), Jorge Luiz Corrêa Canal (83), Liamar Cristina Saudade (77) e Lizane Andreia Kalkmann (69). Concorreram 14 candidatos, que passaram por etapas de seleção.

O mandato de conselheiro tem período de quatro anos, 2020 a 2024. A eleição teve a organização de uma comissão Especial, presidida por Kátia Trentin, com seis locais de votação, com colaboração de servidores municipais. As urnas estavam presentes nas escolas Ernesto João Cardoso, Nossa Senhora de Lourdes, Santo Antônio, Valdomiro Graciano; na Prefeitura Municipal. As sessões de votação nas escolas particulares e do estado ficaram em uma única urna eletrônica instalada na quadra de esportes do bairro Martini.

Jorge Celito Zuffo

Celito agradeceu a votação.

– Quero agradecer a todas as pessoas que indicaram meu nome e a quem votou em mim acreditando no meu compromisso frente ao conselho – comentou.

A eleição para Conselheiro registrou um total de 1.363 votos apurados. Longe dos 12.476 eleitores aptos a votar, de acordo com registro do Cartório Eleitoral da comarca de Não-Me-Toque. Foram 1.344 votos nominais, destinados a algum dos candidatos concorrentes. Mas houve pessoas que saíram de casa no domingo de votação, para votar nulo, 14, e em branco, 5. Muitas pessoas chegaram nos locais de votação e não puderam votar por ter sido exigido pela comissão eleitoral, conforme estabeleceu a advogada e procuradora do município, Elen Heberle, título de eleitor mais documento com foto.

Comissão trabalhou desde o início do ano no processo eleitoral

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.