Quarta-feira, 20 de Novembro de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Estrelado
30°
17°
25°C
Não-Me-Toque/RS
Estrelado
Agronegócios

Agricultora usa homeopatia para produzir morango

Agricultora usa homeopatia para produzir morango
Josiane Vergutz não usa qualquer agroquímico na estufa com 400 mudas de morango, desde o mês de abril deste ano
09.11.2019 16h39  /  Postado por: helaine
Por: Helaine Gnoatto Zart – contato@afolhadosul.com.br

Práticas de produção de alimentos sem agressão ao meio ambiente são isoladas, mas encontram adeptos entusiasmados com os resultados

Certamente você já ouviu falar de homeopatia para tratar doenças humanas. Embora não seja muito comum e até seja desprezada pela grande maioria dos profissionais da saúde, a homeopatia já faz parte das práticas integrativas – terapias aceitas como tratamento pelo SUS. O principal difusor destas práticas é o deputado federal gaúcho Giovani Cherini.

No entanto, o uso da homeopatia para tratar a produção agrícola também vem ganhando visibilidade, apesar de ser ignorada pelo mercado. Já existem muitos artigos científicos, pesquisas e eventos que tratam do assunto, como o que ocorreu nos dias 17 e 18 de outubro, na UPF: 6º Seminário Regional de Plantas Bioativas e Homeopatia e a 1ª Jornada Sul-Brasileira de Pesquisa em Plantas Medicinais e Homeopáticas.

Para conhecer como funciona – e se funciona – a homeopatia na produção agrícola, não precisa ir longe. A agricultora Josiane Petry Vergutz, 38 anos de idade, produz morango na propriedade da família, em Linha Glória, Lagoa dos Três Cantos, com a ajuda do marido André Vergutz e do filho Estêvão, de 16 anos, dos pais, Ivanor e Ivani Petry, e dos sogros, Simplício e Alice Vergutz. Uma estufa com 4 mil mudas, em sistema hidropônico, está instalada a poucos metros da residência. A família divide as tarefas na produção de leite e de morango. Até pouco tempo, Josiane conciliava o trabalho com um emprego na Secretaria da Assistência Social, onde mantinha um projeto de cultivo de plantas medicinais bioativas.

Josiane Vergutz não usa qualquer agroquímico na estufa com 400 mudas de morango, desde o mês de abril deste ano

Uma estufa com 4 mil mudas, em sistema hidropônico, está instalada a poucos metros da residência. A família divide as tarefas na produção de leite e de morango. Até pouco tempo, Josiane conciliava o trabalho com um emprego na Secretaria da Assistência Social, onde mantinha um projeto de cultivo de plantas medicinais bioativas.

Mas como foi que Josiane se aproximou da homeopatia? Tudo começou com o curso de plantas bioativas e introdução à homeopatia desenvolvido pela Emater na Expodireto Cotrijal. Ficou um gosto de quero saber mais e assim começou a buscar informações sobre o tema.

Necessidade de diversificar

São 20 anos produzindo leite, principal fonte de renda da família Vergutz. Nesse período, passaram por muitos contratempos e frustações com o leite, começaram a pensar em diversificar.

– Pensamos em buscar uma segunda atividade, para não dependermos somente do leite. Conheci um produtor de morangos que vinha vender em Lagoa dos Três Cantos, onde estava trabalhando, e fiquei interessada. Fiz perguntas e ele nos convidou para conhecer como cultivava. Assim, no ano de 2016 iniciamos na atividade, construindo a estufa e adquirindo 4 mil mudas – relata a agricultora.

Cultivar morango foi uma alternativa de agregar renda á propriedade

Contaram com a ajuda do técnico da Emater, que fez o projeto para que pudessem encaminhar o financiamento. Josi e André fizeram o primeiro curso, que foi hidroponia, em Porto Alegre, antes de instalar a estufa. Assim que iniciaram a atividade, as dificuldades não tardaram a aparecer: doenças, pragas, clima… Todos os produtos necessários vinham de fora.

– Não imaginei que a cultura precisasse de tanto agrotóxico para sobreviver e produzir. Começamos a pesquisar e descobrimos os produtos biológicos, mas são caros e também precisava de muito investimento – prossegue Josiane lembrando que muitos dos produtos químicos indicados exigiam um prazo de até 15 dias de carência entre a aplicação e colheita do produto.

Foi levando, até que surgiu a oportunidade de realizar o curso de homeopatia na produção agrícola, ministrado pela Biocentrus – Ensino, Pesquisa, Saúde Naturalística, regido pela Universidade de Viçosa, campus do Paraná. O curso foi ministrado em Passo Fundo, no ano de 2017, pelo médico veterinário homeopata Alexandre Mendonça, pelo engenheiro agrônomo com doutorado, Carlos Moacir Bonato, e pela farmacêutica Lílian Scoteski Carniato. Foi um ano e meio com aulas na sexta-feira à noite e sábado, mas valeu muito a pena para Josiane.

Estes são os produtos que Josiane utiliza para controlar pragas e doenças na estufa onde produz morango

O conhecimento que adquiriu transformou sua vida e a qualidade dos morangos que produz. Desde abril deste ano, não utiliza nenhum tipo de agroquímico na estufa. A exceção fica com o substrato (terra com adubo onde são plantadas as mudas). Mas já está adquirindo conhecimento e conta com assessoria da engenheira agrônoma e doutora em solos, Cláudia Görgen, para produzir o próprio substrato. Com sua orientação, já está introduzindo pó de rocha, reduzindo a adubação química.

Dentro da estufa não se vê insetos. Umas poucas armadilhas balançam com o vento. Uma de suas primeiras experiências com a homeopatia foi produzir um repelente para mosca caseira que infestava a estufa. No porão da sua casa ela mantém um espaço que serve de laboratório para manipular os produtos. Adquire a maior parte da tintura mãe (matriz homeopática), alguns ela mesma já produz. Os medicamentos homeopáticos têm origem 80% vegetal, 10% mineral e 10% animal. Trata doenças e invasores colocando a solução homeopática na água da irrigação. São utilizadas gotas do produto: 20ml para mil litros de água, não tem cheiro, não faz mal para a saúde.

– No começo era preciso pulverizar com o costal. Dava muito trabalho. Decidi colocar na água do gotejamento e vem dando muito certo – conta animada.

Os frutos são viçosos e têm muito sabor. A produção se vende sozinha. Quando colhe, avisa os amigos pelo Whatsapp, leva no CTG nos dias de ensaio – os dois filhos dançam nas invernadas do Galdino Marques, em Victor Graeff.

O uso da homeopatia garantiu frutos saudáveis, livres de produtos químicos e lucro na atividade, fazendo valer a pena ter investido na diversificação.

Propagar conhecimento

Josiane é, sem dúvida, uma entusiasta da agricultura ecológica e confessa seu sonho:

– Queremos continuar migrando a propriedade para a agricultura sustentável, utilizando recursos que não agridam a natureza. O mais difícil é passar esse conhecimento para as pessoas. Elas não estão abertas para receber informações que vão contra o sistema convencional praticado, nem prestam atenção quando se fala sobre em práticas que respeitam o meio ambiente e permitem produzir com bons resultados e redução de custos. É tão simples que as pessoas desacreditam.

A agricultora explica que tanto as plantas invasoras quanto as pragas surgem como aviso e se o agricultor buscar conhecimento vai entender e mudar suas práticas, corrigindo o que está criando o ambiente favorável para ataque à cultura. O mesmo se aplica à criação de animais.

– Quero muito disseminar a ideia de que os agricultores consigam olhar para o universo de suas propriedades de forma diferente e se libertar da dependência dos químicos, para isso é preciso entender como funciona a natureza – defende Josiane

Josiane também já vem manipulando homeopáticos para a cultura do milho para silagem e até já tratou doenças das vacas de leite com seu conhecimento. Além de usados em humanos e plantas, também são empregados em tratamento para animais.

Todas as literaturas científicas sobre o tema são estrangeiras. O primeiro livro brasileiro está em fase de edição, de autoria dos pesquisadores Carlos Bonato (Viçosa-PR e ……..

Nesta semana, dia 15, Josiane Vergutz participou da palestra “Homeopatia no Cultivo da Soja”, realizado pelo Instituto Athena, em Marau, ministrado por Lucineia Araldi Pradella, agricultora homeopata popular responsável pelo desenvolvimento de técnicas adaptadas ao plantio de soja no Brasil, com o objetivo de minimizar o uso de defensivos agrícolas. A agricultora vem sendo requisitada no Centro-Oeste para orientar o uso da homeopatia na produção de soja em lavouras com até 5 mil hectares.

Integração com a natureza é perfeita

Uma mostra do produto

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.