Sexta-feira, 27 de Novembro de 2020
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 54 9 9932 7709
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Parcialmente nublado
27°
19°
17°C
Não-Me-Toque/RS
Parcialmente nublado
Ao Vivo:
Saúde

Mapa preliminar coloca Não-Me-Toque novamente na bandeira vermelha

Mapa preliminar coloca Não-Me-Toque novamente na bandeira vermelha
17.07.2020 18h53  /  Postado por: A Folha

O agravamento da pandemia deixou em vermelho quase todo o Rio Grande do Sul. Das 20 regiões do Distanciamento Controlado, apenas duas foram classificadas com bandeira laranja (risco médio) no mapa preliminar da 11ª rodada, divulgado nesta sexta-feira (17/7).

Significa que 90% do Estado apresenta alto risco para disseminação de coronavírus e ocupação de leitos. As bandeiras definitivas serão divulgadas na segunda-feira (20/7). Não-Me-Toque que faz parte da região de Passo Fundo está retornando mais uma vez para a bandeira vermelha.

Segundo o Secretário Municipal de Saúde, Marco Costa, o município deve entrar com recurso, mas dessa vez a argumentação ficou difícil.

— Amanhã o observatório regional se reúne. Mas mesmo entre os membros a situação é vista como de difícil reversão, os indicadores não colaboram — destacou Marco. 

Não-Me-Toque que estava na bandeira laranja nas últimas semanas por não possui internações pela Covid-19, registrou nos últimos dias duas internações, sendo que um paciente esteve internado no Hospital Notre Dame Júlia Billiart, e outro teve que ser transferido para Passo Fundo. Além disso, os casos voltaram a aparecer no município.

RESUMO DA 11ª RODADA

ENTENDA O DISTANCIAMENTO CONTROLADO

Com base em evidências científicas e análise de dados, o modelo de Distanciamento Controlado – que está oficialmente em vigor desde 10 de maio, com o Decreto 55.240 – tem o objetivo de equilibrar a prioridade de preservação da vida com uma retomada econômica responsável em todo o Rio Grande do Sul.

Para isso, o governo dividiu o Estado em 20 regiões e mapeou 105 atividades econômicas. A partir de um cálculo que leva em conta 11 indicadores, segmentados em dois grupos – propagação do vírus e capacidade de atendimento de saúde –, determinou a aplicação de regras (chamados de protocolos) mais ou menos restritas para cada segmento de acordo com o risco calculado para cada região.

Conforme o resultado do cruzamento de dados divulgados de forma transparente, cada local recebe uma bandeira nas cores amarela (risco baixo), laranja (médio), vermelha (alto) ou preta (altíssimo).O monitoramento dos indicadores de risco é semanal.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.