Sexta-feira, 23 de Julho de 2021
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 054 9 9715-2658
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
23°
11°
23°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo limpo
Ao Vivo:
Agronegócios

Cotrijal realiza ação para conter a cigarrinha do milho

Cotrijal realiza ação para conter a cigarrinha do milho
Uma das armadilhas instaladas pela Cotrijal.
29.06.2021 08h57  /  Postado por: A Folha
Por Assessoria de Imprensa e Marketing da Cotrijal

O período de entressafra é de extrema importância para preparar as áreas para as próximas culturas, mas também para entender os hábitos e conter a presença de pragas que deixaram prejuízos na última safra de verão, como é o caso da cigarrinha do milho.

Com esse propósito, a Cotrijal, com a Rede Técnica Cooperativa (RTC), através do setor de entomologia da CCGL, instalou armadilhas em pontos estratégicos da sua área de ação (Não-Me-Toque, Saldanha Marinho, Muitos Capões e Passo Fundo).

Uma vez por semana, profissionais do Departamento Técnico da Cotrijal vão fazer a leitura visual nessas armadilhas. As informações serão armazenadas em um banco de dados, em parceria com a RTC, para acompanhamento da evolução da presença da praga. “Além disso, as cigarrinhas coletadas serão avaliadas em laboratório para verificar se estão infectadas por vírus e bactérias causadores do enfezamento”, pontua o coordenador técnico de Difusão da Cotrijal, Alexandre Nowicki.

Conforme o pesquisador Glauber Renato Stürmer, responsável pelo setor de entomologia da CCGL, esse trabalho visa monitorar a população de Dalbulus maidis (cigarrinha) e antecipar as recomendações de manejo mais assertivas aos agricultores e assistentes técnicos, evitando perdas potenciais nas lavouras gaúchas.

A cigarrinha do milho é um inseto sugador de 5 mm de tamanho que em sua alimentação na planta, além do dano direto, é vetor do complexo de vírus e bactérias que causam o enfezamento, que pode levar a perdas de mais de 90% nas lavouras de milho.

De olho nas plantas guaxas

Ainda nesse período de entressafra, é importante monitorar as plantas voluntárias de milho (guaxas), que podem abrigar a praga até a próxima safra.  “Como os sintomas só serão percebidos tardiamente nas plantas, esse monitoramento é essencial. Havendo a presença do inseto neste período, o produtor pode realizar algumas estratégias de manejo para mitigar o dano”, explica Nowicki.

O coordenador técnico alerta que a cigarrinha se dispersa e reproduz rapidamente. “No momento da avaliação da lavoura, para cada inseto na fase de ninfa encontrado, podemos ter 10 no total. E para cada inseto adulto encontrado, podemos ter 3 no total”, conclui.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.