Sexta-feira, 01 de Julho de 2022
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 054 9 9715-2658
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
19°
17°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo limpo
Ao Vivo:
Agronegócios

Governo altera regras para Cédula do Produtor Rural

Governo altera regras para Cédula do Produtor Rural
Foto: Alan Santos/PR
17.03.2022 08h59  /  Postado por: A Folha

Por Canal Rural

O governo federal editou na terça-feira (15) medida provisória que atualiza regras para a utilização de garantias rurais. A proposta sobre as garantias rurais altera as regras da assinatura eletrônica em CPR escritural e averbações e registros de garantias vinculadas às cédulas, além de ampliar temporariamente (até 31 de dezembro de 2023) o prazo para registro ou depósito das CPR, de dez para 30 dias, de acordo com o Ministério da Economia.

A CPR é um título que representa uma promessa de entrega futura de um produto agropecuário, facilitando a produção e a comercialização rural.

A medida também amplia o escopo do Fundo Garantidor Solidário (FGS), criado na Lei do Agro, para garantir qualquer operação financeira vinculada à atividade empresarial rural, inclusive aquelas realizadas no âmbito dos mercados de capitais, englobando títulos como a CPR e o certificado de recebíveis do agronegócio. Também simplifica a constituição dos FGS e a classificação de cotas que compõem seu patrimônio e promove aprimoramentos na gestão dos fundos.

Reforma tributária: deputados pedem taxação diferenciada para produtos agrícolas

A cerimônia de assinatura da medida foi realizada no Palácio do Planalto, com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro; do ministro em exercício do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Marcos Montes; e do ministro da Economia, Paulo Guedes.

O secretário-adjunto de Política Agrícola do Mapa, José Ângelo Mazzillo, afirma que a medida simplifica os mecanismos financeiros à disposição do agro e prioriza a aplicação de recursos públicos em áreas não atendidas pelo mercado privado.

—É muito importante desenvolver esses mercados (como o da CPR), precisam ser simples, ter segurança jurídica. Isso demonstra o quão promissora será nossa agenda—, disse, ao acrescentar que o estoque de CPR passou de R$ 17 bilhões para R$ 130 bilhões.

O chefe da assessoria especial do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, citou que, por exemplo, ficará mais fácil para grupos de pequenos agricultores usarem o FGTS para comprar um equipamento em conjunto, como um trator.

—É a nossa preocupação com o pequeno agricultor que poderá ter mais um equipamento na sua propriedade—, afirma.

Além das garantias rurais, foi lançado o marco da securitização, que abrange o novo marco das companhias securitizadoras e os novos instrumentos de securitização para o mercado de seguros.

O governo federal anunciou ainda que vai zerar, até 2028, as alíquotas do Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários (IOF) incidentes sobre operações de câmbio. A redução será gradual e escalonada em oito anos.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Página Inicial e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Prosseguir