Passo Fundo/RS: Tempo nublado
Carazinho/RS: Tempo nublado
Passo Fundo/RS: Tempo nublado
Carazinho/RS: Tempo nublado

Notícias

16 de março de 2006

Fórum Nacional da Soja condena política econômica

Reunindo produtores, empresários e as principais entidades representativas da classe agrícola, o 17º Fórum Nacional da Soja, realizado na terça-feira, 14, no auditório central da Expodireto Cotrijal, marcou posição contra a política econômica do governo, apontada como principal responsável pelo difícil momento vivido pelo setor.
“A matemática é simples: quando os custos superam a receita, a propriedade se inviabiliza e o produtor não consegue mais permanecer no campo”, chamou a atenção o presidente da Cotrijal, Nei César Mânica, na abertura do evento. Ele reclamou principalmente dos juros elevados e o do dólar supervalorizado, itens que mais influenciam na queda de renda da atividade rural. E ressaltou: “se medidas urgentes não forem tomadas antes da safra, vai haver uma quebradeira geral”.
O Presidente da Fecoagro, Rui Polidoro Pinto, lembrou que o Fórum da Soja desde que passou a ser realizado na Expodeireto Cotrijal, já firmou importantes posicionamentos, como a defesa da soja transgênica. “Neste ano, volta a discutir problemas conjunturais que afetam o setor agrícola”.
Conforme a moderadora do fórum, a jornalista Ana Amélia Lemos, no momento é preciso resolver o problema do endividamento do meio rural: “É necessário definir com clareza que poder o setor primário tem para encaminhar as soluções e efetivamente exercê-lo”.
No entendimento do presidente da CCGL, Caio Viana, o agronegócio brasileiro, tecnicamente, está muito bem, porém, politicamente, vai muito mal: “Não podemos continuar assim, acumulando dívidas e perdendo espaço na exportação, através de um câmbio sobrevalorizado em favor do real”. Veja mais informações na edição de 17 d emarço do jornal A Folha.

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir