Passo Fundo/RS: Chuvas esparsas
Carazinho/RS: Chuvas esparsas
Passo Fundo/RS: Chuvas esparsas
Carazinho/RS: Chuvas esparsas

Notícias

10 de setembro de 2009

Victor Graeff arrasada pelo temporal

Ventos fortes em forma de ciclone atingiram a cidade de Victor Graeff na noite de segunda-feira (7). Por volta das 20h, a tempestade de vento e chuva ganhou força e causou grande destruição. Uma infinidade de casas ficou destelhada, até paredes, telhados inteiros e árvores foram arrancados pelo vento. Em toda a extensão da cidade se vê as marcas do temporal que durou cerca de dois minutos.
A Praça Municipal Tancredo neves teve praticamente todas as árvore arrancadas. Somente os ciprestes permaneceram plantados. As árvores que não foram arrancadas quebraram. Até o Hospital Municipal teve danos no telhado.
Na Avenida Cochinho, 10 postes de energia elétrica foram danificados e em praticamente todas as ruas há danos na rede elétrica. A cidade ficou sem luz na noite do temporal e não tinha previsão de retorno. Quatro equipes da RGE com cerca de 70 pessoas, trabalham para restabelecer o fornecimento. A população também ficou sem água e a Corsan providenciou um gerador que chegou na tarde de terça-feira (8) para garantir o retorno do abastecimento.
De acordo com o prefeito Sadi Menegaz, só vai ser possível precisar o alcance total das perdas nos próximos dias, mas a estimativa era de danos em oitenta por cento das casas na cidade. Equipes da prefeitura também percorreram o interior para averiguar a situação. Em área próxima da cidade, uma casa de madeira teve metade arrancada pelo vento. A família se refugiou no banheiro e assim que pode deixou o local procurando abrigo na casa de familiares.
- Nossa população é muito solidária. Todos ajudam uns aos outros. Vamos torcer para que essa situação passe logo e todos possam retomar suas vidas - declarou o vice-prefeito.
Com queda de vinte por cento no repasse do FPM neste ano, provocada pela redução de IPI e outros incentivos fiscais oferecido pelo governo federal aos consumidores, o município terá dificuldades de recuperar. Menegaz disse que será decretado estado de calamidade e espera que o governo federal e o governo do estado auxiliem com recursos. A primeira ajuda veio da Defesa Civil do Estado que enviou duas carretas de telhas e uma equipe para ajudar no levantamento das perdas.
Na terça-feira praticamente nenhum estabelecimento abriu suas portas. Todas as pessoas se envolveram em consertar telhados ou ajudar. As aulas foram suspensas, a princípio por três dias. Diversas equipes da prefeitura e de voluntários trabalhavam para remover galhos e árvores inteiras dos pátios e das ruas. Veja mais imagens na galeria de fotos.

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir