Passo Fundo/RS: Tempo limpo
Carazinho/RS: Chuvas esparsas
Passo Fundo/RS: Tempo limpo
Carazinho/RS: Chuvas esparsas

Notícias

15 de julho de 2014

Melhorias na ERS-142 para salvar vidas

Secretário João Motta prometeu duplicação com recursos do Banco Mundial

Foram mais de duas horas de espera, mas os empresários estavam determinados a falar pessoalmente com o representante do Governo do Estado e deixaram de lado os compromissos de trabalho para aguardar, junto com a prefeita Teodora Lütkemeyer, a presença do secretário de Estado de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, João Motta. A reunião ocorreu no final da tarde de sexta-feira (11), no Gabinete da Prefeita de Não-Me-Toque.

Um documento com ofícios de reivindicação, levantamento de acidentes e fotografias mostrando a realidade da rodovia estadual 142, trecho de 22 quilômetros que liga Não-Me-Toque a Carazinho, reforçou os argumentos das lideranças políticas, empresariais e da sociedade civil.

Os problemas não são simples, especialmente porque a rodovia não foi construída para suportar o trânsito que recebe nos últimos 10 anos, resultado do crescimento das indústrias metal-mecânicas, da indústria de sementes e da comercialização de grãos. Passam sobre esta estrada milhares de toneladas por mês, além do fluxo de pessoas que se deslocam para trabalhar e estudar e os que vêm para fazer negócios ou cruzam pela região.

- Este trecho da ERS-142 é importante não somente para Não-Me-Toque e Carazinho, mas sim para o desenvolvimento da região, onde diariamente saem produtos que são exportados tanto para o mercado interno como externo, além de ser uma via de escoamento da produção de grãos. Porém nossa preocupação não é somente com a rodovia, mas principalmente com a vida das pessoas que nela trafegam diariamente - comentou o presidente da Câmara de Vereadores. Gilson dos Santos.

Diariamente, utilizam da rodovia cerca de dois mil trabalhadores e 500 estudantes. Em produtos, são milhares de toneladas por mês.

De acordo com dados da Polícia Rodoviária Estadual, em quatro anos ocorreram 225 acidentes, sendo 94 com danos materiais, 117 com lesões corporais e 14 com vitimais fatais.

Estreitamento da pista e pavimentação de má qualidade mostram descaso com a estrada

O recapeamento realizado no final do mês de fevereiro deste ano não resistiu ao tráfego e já apresenta desgaste e buracos. A falta de pavimentação no acostamento, que fica um degrau mais baixo, o estreitamento da pista causado pela última reforma, além dos buracos que teimam em aparecer, a menos de quaro meses das obras de recapeamento são os principais motivos dos acidentes.

- Há anos estamos cobrando medidas que venham resolver a precariedade desta rodovia que diariamente recebe um fluxo muito grande de carga e de pessoas, o que gera muita preocupação principalmente na questão da segurança. Não queremos mais perder vidas nesta rodovia - destacou a Prefeita Teodora Lütkemeyer para o secretário Motta.

As árvores ao longo da pista são outro problema sério. Além de impedirem o livre escape para os veículos em caso de risco de acidentes, ainda causam dificuldades para os ônibus e caminhões com carga elevada, que não conseguem andar na pista e precisam centralizar o s veículos, oferecendo risco a quem trafega em sentido contrário.

A Administração Municipal e a Câmara de Vereadores chamaram as empresas de Não-Me-Toque e as lideranças de entidades representativas como Acint, OAB, Sindicato Rural, para discutir o alcance dos problemas de infraestrutura da rodovia e as possíveis medidas.

O diretor da Stara chamou a atenção para o descompasso desta estrada com regiões desenvolvidas.

- Nos países desenvolvidos não existem árvores margeando as estradas e nos trevos. Precisamos pensar nas vidas humanas e limpar o trajeto, plantando árvores em lugares apropriados, porque nenhuma árvore é mais importante que a vida de uma pessoa – apelou.

Participaram da reunião a convite da prefeita Teodora e do presidente do Legislativo Gilson dos Santos as mais influentes lideranças empresariais, organizacionais e políticas: Orlando Roos (Sementes Roos), Gilson Trennepohl (Stara), Jerri Rietjens (Jan), Enio Schroeder (Cotrijal), Paulo Gomes da Silva (Acint), Elisabeth Sanders (Sindicato Rural), Paulo Juarez de Oliveira (Augustin), Nara Piccinini da Silva (OAB), José Barrios (Dobel), Roque Zart (Jornal A Folha), Beno Lütkemeyer (CTG), Ivan Fleck (Jan), Claudiomir Spagnol (Roos), Volmir Amann (Stara), os vereadores Valdir Kirst, Paula Samuel van Schaik, Ibanez de Quadros, Antoninho Baldissera e Neuri Sprandel, e os secretários de governo municipal Ivan Machry, Naor Kümpel, Griselda Blau, Nara Adams e Clereci Schenkel.

 

Mais antiga rodovia da região

Orlando Roos lembrou que a ERS-142 que liga Não-Me-Toque a Carazinho teve sua construção no período de 1954 a 1957, junto com o trecho Passo Fundo a Marau. Os 22 quilômetros de extensão entre os dois municípios conta com 23 curvas e foi pavimentada sobre o trajeto original, desbravado por tropas de mula e cavalos, forma de transporte no período de colonização.

A descontinuidade das gestões políticas no Daer interrompem os projetos de recuperação e, Segundo técnicos da Secretaria de Infraestrutura e Logística do Estado, a falta de drenagem e de manutenção comprometeu a conservação desta rodovia, ao ponto de operações tapa-buracos não resolvem mais o problemas que vêm se alastrando nos últimos anos.

 

Promessa

Em nome do Governo do Estado, o secretário de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, João Motta afirmou que obras na ERS-142 estão previstas no segundo lote do Contrato de Reabilitação e Manutenção de Rodovias (Crema), que está em fase final de contratação e deverá receber os cuidados até o final deste ano. Ainda acenou com a possibilidade da inclusão no Contrato Emergencial, com mais um trabalho de manutenção temporária antes mesmo do mês de dezembro.

- Em todo o Estado temos 2.300 quilômetros de malha viária a ser recuperada em etapas com uma estimativa de oito anos para o trabalho ser concluído. Vamos trabalhar junto à Secretaria de Infraestrutura para que a ERS-142 seja incluída preferencialmente como estrada que deve ser duplicada – prometeu às lideranças. Considerou que o número de mortes revela a emergencialidade desta obra.

Os recursos para esse grande projeto de recuperação de estradas vêm do Banco Interamericano Mundial.

Sobre a remoção das árvores, comprometeu-se em dar andamento ao assunto junto ao Daer e à Fepam já na segunda-feira (14).

Após o encontro uma comitiva liderada por Teodora e Gilson dos Santos acompanhou o secretário Motta na reunião com o prefeito Renato Süss, vereadores e empresários em Carazinho, onde o assunto foi a mesma mobilização.

 

Trevo acesso Norte

Foi incluído nas reivindicações ao secretário João Motta o pedido de reformulação do trevo de acesso Norte à cidade de Não-Me-Toque, na ERS 142, local de muitos acidentes devido a má conformação da obra. O pedido já Vereadores de NMT e se encontra no Daer.

 

Futuro

Esta rodovia, num curto espaço de tempo vai receber grandes obras e exigir ainda mais infraestrutura. Já estão em obras a sede da WD Insumos Agrícolas, a unidade beneficiadora de sementes da Cotrijal e a central de distribuição da TW Transportes. A Sementes Roos também vai construir uma nova unidade de grãos e novos lotes estão em negociação para abrigar outras empresas, que vão estender o desenvolvimento do município ao longo da rodovia.

 

Raio-x da ERS 142

Trajeto – Carazinho a Não-Me-Toque

Extensão – 22 quilômetros

Geografia – plana, 23 curvas, alamedas de pinus, eucaliptos e outras espécies

Período – 1º/1/2010 a 11/7/2014

Acidentes – 225 (94 com danos materiais, 117 pessoas feridas e 14 mortes)

Árvores de grande porte a menos de 3 metros da pista já ceifaram muitas vidas
Orlando Roos lembrou que esta é a mais antiga estrada da região e não comporta o tráfego atual
Mobilização teve continuidade na Prefeitura de Carazinho

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir