Sábado, 28 de Maio de 2022
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 054 9 9715-2658
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Chuva
18°
14°
15°C
Não-Me-Toque/RS
Chuva
Ao Vivo:
Plantão

Vitoriosas na luta contra o câncer

30.10.2015 16h42  /  Postado por: upside

A Cotrijal se integrou neste mês, em vários municípios, à campanha Outubro Rosa, promovendo atividades de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer nas mulheres. Em Não-Me-Toque, no dia 16 de outubro, as colaboradoras participaram de palestra sobre o assunto, na sede da cooperativa.
A enfermeira Liliane Kraemer Erpen, da Secretaria Municipal de Saúde, falou sobre os tipos de câncer, formas de prevenção e também sobre a importância dos exames e consultas de rotina. O momento teve ainda comoventes depoimentos com duas mulheres que já tiveram câncer.
Organizada pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes da Sede e dos Supermercados/Lojas, a atividade foi realizada em duas sessões. Cerca de 50 colaboradoras participaram.
O câncer de mama é a maior causa de morte de mulheres nos países em desenvolvimento e está comprovado que quando a doença é detectada no início a paciente tem mais chances de cura.
– O principal objetivo de organizarmos essa palestra foi mostrar às mulheres a importância de se cuidarem, fazendo os exames e consultas de rotina e estarem atentas a qualquer mudança anormal no seu corpo – informou a presidente da Cipa Sede, Cristina Dal Pizzol.

Delci Wassen, Carla Costa e Liliane Erpen

Delci Wassen, Carla Costa e Liliane Erpen

Números surpreendem

Durante a palestra, Liliane Erpen informou que entre 2014 e 2015, de 401 exames preventivos de colo de útero e de mama feitos através do Sistema Único de Saúde em Não-Me-Toque, 61 apresentaram alteração. Destes, 51 alterações eram de colo de útero, com 3 casos de câncer, e 10 eram de mama, com 5 casos de câncer. E o que surpreende mais é a faixa etária das mulheres com câncer de mama: 4 tinham entre 42 e 48 anos e apenas uma acima de 60 anos.
Carla Sebastiani da Costa, que é presidente da Associação Amigos da Vida de Não-Me-Toque, ressaltou em seu depoimento que fazia o autoexame da mama regularmente. E foi assim que ela detectou o câncer e logo procurou tratamento.
– Caso já haja casos de câncer na família, independente do tipo, a gente deve ter mais cuidado ainda – recomendou.
Delci Wassen, que testemunhou as dificuldades enfrentadas no tratamento do câncer do colo do útero, detectado quando ela tinha 36 anos, disse que a prevenção é sempre o melhor remédio.
– Eu faço exames de rotina todos os anos e só por isso detectei cedo o câncer, porque não tinha nenhum sintoma – alertou.
Fonte: Assessoria de Comunicação Cotrijal

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Página Inicial e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Prosseguir