Sexta-feira, 01 de Julho de 2022
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 054 9 9715-2658
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
19°
17°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo limpo
Ao Vivo:
Destaques

Em busca de uma lei de incentivo à saúde

29.08.2016 09h36  /  Postado por: upside

Cultura e esporte são dois setores que vêm sendo beneficiados com recursos de incentivos fiscais. Os contribuintes podem destinar parte do valor que devem pagar de imposto de renda e também de ICMS para financiar projetos nestas duas áreas. E a saúde, por que não? Foi com este propósito que a prefeita de Não-Me-Toque, Teodora Lütkemeyer, apresentou sugestão ao presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski, durante reunião da Associação dos Municípios do Alto Jacuí (Amaja), na segunda-feira (15).

A ideia de mobilizar as forças municipais para sensibilizar o Governo Federal para criar uma lei de incentivo à saúde surgiu durante atividade de uma força tarefa organizada em Não-Me-Toque. Lideranças da comunidade se uniram para buscar alternativas que venham contribuir para a manutenção dos hospitais. Membros deste grupo, o presidente da Acint, Cristiano Lima, e a editora do jornal A Folha, Helaine Gnoatto Zart, acompanharam a prefeita na reunião da Amaja em Ibirubá.

DSC_3263

Paulo Ziulkoski recebeu o ofício entregue pelo presidente da Amaja, Luiz Artur dos Santos Rosa, e da prefeita Teodora Lütkemeyer

A sugestão foi apresentada ao presidente da CNM em nome da Amaja, buscando a força da confederação para buscar mecanismos que possibilitem a criação da nova lei.

– Atualmente existem duas formas de incentivo fiscais à saúde, que são doação de recursos para hospitais especializados em oncologia e portadores de deficiência. Buscamos uma forma de beneficiar os hospitais filantrópicos – explicou Teodora.

A Amaja, em nome dos prefeitos desta região, solicitou que a CNM inclua em sua pauta de reivindicações a edição de uma Medida Provisória que estabeleça a possibilidade de captação de recursos por parte dos hospitais filantrópicos, através de leis de incentivo, via IRRF, semelhante ao previstos na Lei Federal nº 12715/2012.

– Em pesquisa realizada com hospitais, empresas, empresários, agricultores e outras atividades afins, percebeu-se que há grande interesse em que seja editada uma Medida Provisória a fim de possibilitar que os Hospitais Filantrópicos se habilitem a captar recursos através de Leis de Incentivos Fiscais – justificou a prefeita de Não-Me-Toque. Paulo Ziulkoski recebeu a reivindicação e ponderou as dificuldades diante do atual quadro de ajuste fiscal.

DSC_3266

Prefeita ao lado de representantes da Amaja e CNN

– É provável que o Governo Federal não queira abrir mão de impostos, mas podemos trabalhar buscando uma forma de alcançar esta reivindicação que viria ajudar instituições de saúde – comentou o presidente da CNM.

Além desta proposta, a força-tarefa de Não-Me-Toque trabalha em outra possibilidade, mais em âmbito local que poderá ajudar os hospitais.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Página Inicial e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Prosseguir