Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Ensolarado
25°
12°
19°C
Não-Me-Toque/RS
Ensolarado
Destaques

Vocação para servir leva Irmã Lori Steffen à Moçambique

Vocação para servir leva Irmã Lori Steffen à Moçambique
Missa com benção foi celebrada na Matriz Cristo Rei
27.01.2019 19h28  /  Postado por: helaine

Missa com benção foi celebrada na Matriz Cristo Rei

Os 68 anos de idade, completos no dia 8 de janeiro, não tiram a motivação da religiosa da Congregação de Notre Dame, Lori Steffen, para abraçar mais uma causa humanitária. Aceitou o chamado vocacional deixou a coordenação da Casa Betânia, em Não-Me-Toque, e embarca no próximo dia 29 para Moçambique, onde vai atuar junto de uma das três missões das Irmãs de Notre Dame naquele país da África.

A cerimônia de envio, celebrada na Igreja Mariz Cristo Rei na missa de sábado (19 de janeiro), reuniu religiosas da Congregação, comunidade católica, amigos e familiares da Ir. Lori. Depois da manifestação da Superiora Provincial, Ir. Araci Maria Ludwig, e da leitura da mensagem escrita pelas religiosas que já trabalham nesta missão em Moçambique, o pároco, frei Laerte Reis, procedeu com a benção que foi compartilhada pela comunidade.

Superiora Provincial, Ir. Araci Maria Ludwig falou da missão das religiosas da congregação

– Vai em nome da Congregação de Nossa Senhora levar a luz da fé. Leva contigo esta cruz que representa o Cristo ressuscitado, mas também representa os povos crucificados e necessitados espalhados pelo mundo, e que você tem a possibilidade e a capacidade de ajudar para mudar muitas vidas – disse a Ir. Araci Maria Ludwig na cerimônia.

Em mensagem lida pela Ir. Alcidia Guareschi, as religiosas que se encontram em Moçambique escreveram que ela estão ela não estará sozinha na construção do reino de Cristo, proclamando a bondade e o amor.

Ao se manifestar, a Ir. Lori Steffen relatou que o sonho de participar desta missão se manifestou há 18 anos, quando estava num retiro em São Leopoldo.

– Uma luz forte acendeu em mim, me perguntando por que não deixar tudo e ir ajudar aquele povo tão carente e sofrido. Foi tão forte este apelo, que saí do retiro com o pedido já escrito para a Provincial. Demorou 18 anos para receber esta oportunidade, quando eu já pensava que não viria mais. Disse sim, primeiro para atender ao apelo da Província para dar sentido à minha consagração como Irmã de Nossa Senhora, segundo por causa da minha idade. Se não for agora, não será mais. Também pela solidariedade com os mais pobres – revelou.

Durante os últimos cinco anos, a religiosa dedicou sua missão em Não-Me-Toque, como coordenadora da Casa Betânia (residência das irmãs idosas, doentes e em recuperação), atuou como enfermeira responsável da Casa Betânia, presidiu o Conselho Municipal do Idoso por quatro anos, colaborou na formação da equipe de liturgia da paróquia e na catequese.

Nascida em Chapada, Ir. Lori Steffen cursou o magistério, formou-se em enfermagem, cursou pós-graduação em Gerontologia Social e vinha cursando Teologia. Nos seus 47 anos de vida religiosa, por 15 anos trabalhou no Hospital Notre Dame São Sebastião, de Espumoso, e também trabalhou três anos no Acre.

Agora vai para Moçambique, onde permanece pelos próximos três anos, podendo retornar para passeio e férias. Está sendo aguardada para trabalhar na formação das irmãs nativas, numa das três casas que a Congregação mantém em Moçambique. Sua missão (casa), distante 6 quilômetros do primeiro povoado, é denominada Jecua, fica na Vila Manica. É mantida pela Congregação das Irmãs de Notre Dame e com ela serão seis religiosas, sendo quatro brasileiras e duas nativas.

Ir. Lori Steffen

– Vou trabalhar em muitas frentes, porque é um lugar muito pobre, sem água encanada, sem energia elétrica, com casas de chão batido. A Missão está ajudando muito e há muita interesse das jovens em fazer parte da Congregação, então vamos planejar a Missão como um todo, vislumbrando o crescimento da nossa atuação, oportunizando a formação de jovens, levando conhecimento e ajuda humanitária – explica.

Também vai ajudar no posto de saúde, único centro de atendimento das redondezas, atuar como professora na escola secundária e no seminário, colaborar com a paróquia na pastoral e na catequese,

– É mais um desafio que abraço com entusiasmo, porque esta é a missão que escolhi como religiosa e fazer o bem é o que me faz feliz – declarou. Segue consciente de que também terá que aprender com aquele povo, sua língua e seus costumes.

MOÇAMBIQUE

Moçambique fica na costa Leste da África

Moçambique, oficialmente designado como República de Moçambique, é um país localizado no sudeste do Continente Africano, banhado pelo Oceano Índico a leste.

A área foi reconhecida por Vasco da Gama em 1498 e em 1505 foi anexada pelo Império Português. Depois de mais de quatro séculos de domínio português, Moçambique tornou-se independente em 1975, transformando-se na República Popular de Moçambique pouco tempo depois. Após apenas dois anos de independência, o país mergulhou em uma guerra civil intensa e prolongada que durou de 1977 a 1992. Em 1994, o país realizou as suas primeiras eleições multipartidárias e manteve-se como uma república presidencial relativamente estável desde então.

Moçambique é dotado de ricos e extensos recursos naturais. A economia do país é baseada principalmente na agricultura.

As taxas de PIB per capita, índice de desenvolvimento humano (IDH), desigualdade de renda e expectativa de vida de Moçambique ainda estão entre as piores do planeta. A Organização das Nações Unidas (ONU) considera Moçambique um dos países menos desenvolvidos do mundo.

A única língua oficial de Moçambique é o português, que é falado principalmente como segunda língua por cerca de metade da população que se comunica em línguas nativas. A população de cerca de 29 milhões de pessoas é composta predominantemente por povos bantos. A religião mais popular em Moçambique é o cristianismo, mas há uma presença significativa de seguidores do islamismo.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.