Sábado, 24 de Agosto de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Parcialmente nublado
20°
6°C
Não-Me-Toque/RS
Parcialmente nublado
Destaques

Stefanello apresenta Case de Intercooperação no Congresso Brasileiro do Cooperativismo

Stefanello apresenta Case de Intercooperação no Congresso Brasileiro do Cooperativismo
Stefanello também apresentou modelo de intercooperação para investimentos em projetos de geração de energia, de forma limpa e sustentável
13.05.2019 10h57  /  Postado por: helaine

Stefanello também apresentou modelo de intercooperação para investimentos em projetos de geração de energia, de forma limpa e sustentável

Cada vez mais o cooperativismo é visto como um modelo de gestão diferenciado, que é capaz de unir forças para enfrentar os desafios da economia. O tema foi muito discutido no 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo, que acontece em Brasília, de 08 a 10 de maio. O presidente da Coprel, que também preside a Confederação Nacional das Cooperativas de Infraestrutura – Infracoop, apresentou durante o evento o painel “Intercooperação Setorial: como superar desafios em conjunto” com o case “Plano de contingenciamento nas intempéries”.

A intercooperação é o sexto princípio cooperativista. E esse espírito de cooperação fortalece o sistema. O case apresentado por Stefanello, mostrou um exemplo que solidificou ainda mais a  intercooperação entre ramo de Infraestrutura, que foi a criação do Plano de Operação e Manutenção para dias de Contingência. Hoje, cada uma das 15 cooperativas do RS, está em uma região e, geralmente, os temporais não acontecem em todas as regiões do estado. Então, a cooperativa que não é afetada por um temporal, pode auxiliar a outra.

Este plano organiza as informações, a distribuição das atividades e dos materiais nos dias destes eventos meteorológicos, e compartilha colaboradores para o atendimento, dando maior agilidade e resolutividade na recomposição das redes nos dias de temporais.

Outro importante tema apresentado pelo presidente foi o modelo de intercooperação para investimentos em projetos de geração de energia, de forma limpa e sustentável. Segundo Stefanello, os investimentos compartilhados são uma tendência, não só entre as cooperativas do ramo de Infraestrutura, mas por outras cooperativas do sistema também. “As cooperativas avançaram muito em seu modelo econômico de organização. Com a intercooperação podemos aumentar a escala dos investimentos, mitigamos os riscos e conseguimos mais retorno para nossos cooperantes”.

No mesmo dia, Stefanello coordenou a Assembleia Geral Ordinária da Infracoop, que avaliou o trabalho das cooperativas de infraestrutura de todo o Brasil, destacando a qualidade dos serviços fornecidos aos cooperantes. “As cooperativas são preocupadas com a excelência do atendimento que pode ser comprovada através dos indicadores da Aneel. Na pesquisa de 2018, entre as 10 melhores distribuidoras do Brasil, com nota excelente, estavam 09 cooperativas”, finaliza Stefanello. 

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.