Sábado, 07 de Dezembro de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Tempo limpo
26°
13°
18°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo limpo
Economia e Negócios

Resultados versus objetivos: estratégias para uma empresa inteligente

Resultados versus objetivos: estratégias para uma empresa inteligente
03.07.2019 15h30  /  Postado por: helaine
Autora: Valeska Schwanke Fontana Salvador

Como equilibrar resultados versus objetivos estratégicos? Esta, sem dúvidas, é uma das questões que estão na mente dos líderes empresariais, independentemente do porte da sua empresa ou sua área de atuação.

Executar estratégias em uma Learning Organization, ou seja, aquela organização que aprende e que pode ser denominada como uma empresa inteligente, deve ser uma ação coordenada e muito bem planejada.

Por quê?

Ao possibilitar à organização um espaço privilegiado que viabilize do desenvolvimento das 05 disciplinas determinadas por Peter Senge como essenciais para ter uma organização que aprende, quais sejam: domínio pessoal, modelos mentais, objetivos comuns, aprendizado em grupo e pensamento sistêmico, qualquer desenho e execução de estratégia necessitam ser coerentes e gerar valor para todo o ecossistema empresarial.

Compartilho isso com você, pois tomei ciência de um artigo escrito por Simon Horan e Michael Connerty e pubicado pela Harvard Business Review, sob o título: “A boa execução de estratégia exige o equilíbrio de 4 tensões“.

Assim, vamos tratar, brevemente, sobre a relação entre as estratégias da sua empresa e os objetivos estratégicos definidos para ela.

A inteligência de equilibrar resultados versus objetivos

No artigo que citei, publicado na Harvard Business Review, os autores identificam quatro tensões que podem prejudicar a execução de uma boa estratégia. Recomendo que, se possível, você possa ler o artigo. Nele, além das explicações das tensões, há um case explicativo. que enriquece bastante o entendimento.

De qualquer maneira, para poder fazer a relação desejada neste momento, transcreverei parte do que os autores trabalham com exaustão.

Tensão: um resultado final inspirador versus um objetivo inspirador

Conforme os autores, há a necessidade em equilibrar a motivação pelos resultados com o entendimento dos objetivos.

Perceba que, quando o aprendiz é um adulto, necessariamente ele deve entender o “porquê” está fazendo tal ação e desejar ardentemente fazer isso. Do contrário, sua performance estará comprometida.

Caso isso não ocorra, é normal que ocorram frustrações. Estas frustrações são recorrentes no processo de aprendizagem dos adultos. Especialmente, quando há o desequilíbrio em quatro pilares fundamentais da aprendizagem de adultos, que chamamos de ARCS:

Attencion (atenção);

Relevance (relevância);

Confidence (confiança); e,

Satisfaction (satisfação).

Quando estas estratégias de aprendizagem são “esquecidas” ou até menosprezadas pela equipe da Gestão Estratégica de Pessoas, todos os planejamentos para a melhoria na performance dos times dificilmente atingirão os resultados desejados.

Por isto mesmo, deve-se focar justamente no equilíbrio, na conciliação entre os resultados a serem alcançados, a partir dos objetivos bem definidos.

Resultados versus objetivos: devemos concilia-los

Por mais que você não seja um designer em educação corporativa, certamente tem a noção de que um dos segredos para engajar sua equipe no processo de mudança é conciliar os objetivos estratégicos com os resultados desejados.

Sabemos das dificuldades que há para os gestores de equipes e demais líderes no desenvolvimento de times, para fazer com que as pessoas possam compreender claramente os objetivos e atingir os resultados desejados. Especialmente, quando isso exige novos aprendizados, ou seja, necessitam ser criados novos conhecimentos, que hoje não estão presentes na cultura da empresa ou mesmo do seu time.

Porém, o seu foco enquanto líder de um time é analisar, pensar e construir experiências para proporcionar um ambiente criativo, inovador e colaborativo na sua empresa.

Isto acontece quando você consegue conciliar bem os objetivos que você necessita que o time alcance, com os devidos resultados aguardados.

Para tanto não esqueça de considerar os pilares ARCS – Attencion (atenção); Relevance (relevância); Confidence (confiança); e, Satisfaction (satisfação) – em todos os seus processos de gestão de pessoas, especialmente na educação corporativa.

Ah, não esqueça também que quando estamos tratando da aprendizagem de adultos, há a necessidade de conciliar teoria e prática, com a utilização de tecnologias assertivas e inovadoras.

De qualquer forma, desde já, analise, faça suas considerações e avalie o que pode ser mudado na sua empresa, no seu time para que sejam atingidos os resultados desejados e que haja ganho para todas as partes envolvidas.

Autora: Valeska Schwanke Fontana Salvador é CPO e CO-Founder da Conducere Inteligência Corporativa. Mentora, professora universitária e Advisor de Smart Business. Possui especialização em Inovação em Tecnologia Educacional e Design Instrucional/Educacional.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.