Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
Telefone: (54) 3332-1699
Curta nossa página no Facebook:
Alguns chuviscos
19°
14°
15°C
Não-Me-Toque/RS
Alguns chuviscos
Cultura e lazer

Homenagens aos pioneiros marca comemoração dos 70 anos da imigração holandesa em Não-Me-Toque

Homenagens aos pioneiros marca comemoração dos 70 anos da imigração holandesa em Não-Me-Toque
Imigrantes, seus descendentes e familiares se reúnem com a comunidade não-me-toquense para comemorar os 70 anos da chegada dos pioneiros e a trajetória das famílias
23.08.2019 16h39  /  Postado por: helaine
Por: Helaine Gnoatto Zart – contato@afolhadosul.com.br

A Associação Holandesa de Não-Me-Toque vai comemorar, neste domingo, 25 de agosto, o aniversário de 70 anos da chegada das primeiras famílias de imigrantes em Não-Me-Toque. A programação festiva conta com celebração de missa na Igreja Matriz Cristo Rei, solenidade e almoço aberto a todos que desejam participar para comemorar a data.

Imigrantes, seus descendentes e familiares se reúnem com a comunidade não-me-toquense para comemorar os 70 anos da chegada dos pioneiros e a trajetória das famílias

Nesta entrevista, a presidente da Associação Holandesa, Teodora Souilljee Lütkemeyer, fala da motivação para comemorar, da importância da data e antecipa uma parte da programação que reserva surpresas.

A FOLHA – O que representa para a Associação comemorar 70 anos de imigração em Não-Me-Toque?

TEODORA SOUILLJEE LUTKEMEYER – É uma data muito importante, motivo que levou a Associação a realizar a comemoração. Idealizamos uma festa de integração e muitas pessoas estão confirmando presença. No ano de 1949, chegaram em Não-Me-Toque os primeiros imigrantes, as famílias Rauwers e Melis. Depois vieram inúmeras famílias, mas muitas desistiram, retornando para a Holanda. As que persistiram, venceram as dificuldades com uma trajetória que honra muito toda nossa gente. Para nós, completar 70 anos é um momento de muita emoção, especialmente porque temos muitos desses pioneiros ainda entusiasmados e ativos na comunidade não-me-toquense que tão bem recebeu e acolheu a todos. Somos muito gratos e por isso queremos comemorar com a comunidade.

Qual é o grande legado que as novas gerações estão recebendo dos pioneiros?

O grande legado é o exemplo. O lema deste povo imigrante era “trabalho e fé”, gravados no monumento instalado na Praça que traz a cruz e o arado “MET CRUIS EM PLOEG”. A história comprovou que por meio do trabalho e da fé alcançaram uma vida digna na nova pátria. Superaram dificuldades, sofrimento e até casos de depressão para chegar até aqui e servir de exemplo para todos, especialmente nossos jovens e crianças que têm a vida toda pela frente. Vivem feliz nesta comunidade e esse é o espírito da comemoração desta trajetória.

O que reserva a programação de domingo, dia 25? 

Inicia às 9h com a missa na Igreja Matriz Cristo Rei, organizada por uma equipe, que vai promover a participação dos associados com o intuito de agradecer a Deus por esta linda trajetória dos nossos pioneiros. Após a missa estaremos recebendo toda a comunidade que queira participar, com nosso tradicional café, no salão Cristo Rei. Neste momento faremos o ato oficial comemorativo dos 70 anos, que reserva muitas surpresas. Apenas posso antecipar que será apresentado um trailer de alguns dos vídeos que já conseguimos gravar com os pioneiros contando sua história, que é nosso projeto “A História da Imigração em Vídeo” que ainda está em andamento. Contamos com a presença das autoridades, que já foram convidadas. Também estaremos recebendo imigrantes e seus familiares que vêm de outras cidades, como Palmeira das Missões, Panambi, Getúlio Vargas, Carazinho e Passo Fundo. Aguardamos ainda a presença da pesquisadora e antropóloga Renate Stapelbroek, que está vindo da Holanda especialmente para participar, de representantes do Consulado de Porto Alegre, da Associação Cultural de Holandeses de Ijuí, cujos imigrantes vieram pós primeira guerra mundial.

Anda estão disponíveis convites para o almoço? Teremos um cardápio típico?

O almoço será preparado pela equipe de Solange e Chico Sawadinsky com alguns pratos típicos, como cenoura amanteigada com ervilha, purê de maçã, purê de batata, couve com molho branco gratinado, mas não vai faltar nosso prato típico gaúcho, que é o churrasco, porque o povo daqui e também os holandeses gostam muito de carne.

Os cartões estiveram à venda com a diretoria até quinta-feira (dia 22), com uma pequena reserva para o dia do evento.

Convite

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.