Terça-feira, 11 de Maio de 2021
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 054 9 9715-2658
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
16°
11°
14°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo nublado
Ao Vivo:
Destaques

Corregedor da Assembleia do RS propõe abertura de processo ético contra deputado Ruy Irigaray

Corregedor da Assembleia do RS propõe abertura de processo ético contra deputado Ruy Irigaray
Ruy Irigaray (PSL) — Foto: Assembleia Legislativa do RS/Divulgação.
04.05.2021 09h38  /  Postado por: A Folha
Por G1 RS

O corregedor da Comissão de Ética da Assembleia Legislativa do estado (AL-RS), Tiago Simon (MDB), propôs abertura de processo ético contra o deputado Ruy Irigaray (PSL), que pode perder o mandato. Ele vinha apurando o caso desde fevereiro, quando o Fantástico revelou que o parlamentar usou assessores do gabinete em horário de expediente para reformar a casa da sogra na Zona Sul de Porto Alegre.

Irigaray nega envolvimento com o fato. Sobre a proposta de abertura de processo na AL-RS, o advogado do deputado, Lúcio de Constantino, disse que irá provar a inocência do parlamentar.

“É nesse ambiente que deve ocorrer o procedimento, a demonstração dos fatos, que deverão resultar, naturalmente, na comprovação da inocência do deputado Rui Irigaray”, diz Constantino.

Elaborado com base em cinco denúncias protocoladas no parlamento e nos depoimentos e provas apresentadas por duas ex-assessoras do deputado, o parecer foi protocolado na comissão na tarde desta segunda-feira (3).

“Era uma denúncia grave, que apontava mau uso do dinheiro público. Ouvimos todas as denunciantes, fizemos uma apuração detalhada de todos os fatos e entendemos que as denúncias tinham consistência. Representamos contra o parlamentar para que a Comissão de Ética, através da comissão processante, possa apurar todas as denúncias”, afirma Simon.

O presidente da Comissão de Ética, Fernando Marroni (PT), convocou uma reunião do colegiado para a próxima quinta-feira (6). Caso o parecer do corregedor seja acolhido, será nomeada uma sub-comissão processante com três membros, que terá prazo de 180 dias para coletar provas e depoimentos e apresentar um novo relatório.

Se for proposta a cassação de Ruy Irigaray, a decisão será tomada por todos deputados do plenário.

Relembre as acusações

Além da reforma da casa da sogra, o parlamentar do PSL também foi acusado por uma das ex-assessoras de criar perfis falsos em redes sociais para atacar colegas de partido e ainda de exigir parte dos salários de servidores, em esquema conhecido como “rachadinha”.

As duas assessoras que fizeram as denúncias já prestaram depoimento ao Ministério Público confirmando as acusações, e entregaram os celulares onde há registro de suas rotinas – uma delas também era a babá das filhas do político durante o expediente, e registrava tudo em fotos.

Assessores de Ruy Irigaray também começaram a ser ouvidos na Promotoria de Defesa do Patrimônio Público. Um deles, em conversa com a reportagem, alegou ter sido orientado a mentir no depoimento, sustentando ter executado os serviços fora do horário de expediente.

“Não fiz nada, só trabalhei na obra da casa, desde o começo até o fim. Eu trabalhava horas a mais. E isso eu quero, eu quero o ressarcimento dessas horas. Porque meu horário na Assembleia era das 10h às 17h, e eu pegava das 9h à 18h. Eu trabalhava sábado e às vezes até domingo. Só fazendo obra”, afirmou.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.