Sexta-feira, 23 de Julho de 2021
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 054 9 9715-2658
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
23°
11°
23°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo limpo
Ao Vivo:
Agronegócios

De olho em potencial de aumento das exportações, ABPA promove campanha de imagem na Coreia do Sul

De olho em potencial de aumento das exportações, ABPA promove campanha de imagem na Coreia do Sul
29.06.2021 14h29  /  Postado por: A Folha

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) — em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e a Embaixada Brasileira em Seul — iniciou nesta terça-feira (29) uma campanha de imagem focada no mercado consumidor da Coreia do Sul. O Embaixador do Brasil na Coreia do Sul, Luís Henrique Sobreira Lopes, e o Adido Agrícola, Gutemberg Barone, participaram da cerimônia de lançamento.

Outdoors foram espalhandos em pontos estratégicos da capital da Coreia do Sul, Seul

O objetivo é exaltar os atributos da carne de frango e da carne suína do Brasil — como a qualidade dos produtos e o status sanitário da produção brasileira. A campanha contará com 362 telas de mobiliário urbano, instalados nas movimentadas estações de metrô e terminais de ônibus da capital sul-coreana. Para isso, foram escolhidos 17 locais estratégicos de Seul, como a famosa Gangnam Station — bairro conhecido pelo clipe viral Gangnam Style, do cantor Psy. A ação deverá durar cerca de 1 mês. 

A campanha da ABPA acontece pouco após o reconhecimento dos estados do Rio Grande do Sul e Paraná — respectivamente, segundo e terceiro principais produtores de carne suína do Brasil — como áreas livres de aftosa sem vacinação. O status obtido junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reforça a qualidade e a sanidade do produto brasileiro exportado, especialmente para alguns mercados de alto valor, como é o caso da Coreia do Sul.

A Coreia do Sul é, atualmente, o quarto principal importador mundial de carne suína, com 570 mil toneladas, equivalente a cerca de US$ 1,38 bilhão ao longo de 2020 — atrás apenas de China, Japão e México. O Brasil ainda possui uma baixa participação no mercado, cerca de 5 mil toneladas exportadas no mesmo período. Hoje, somente Santa Catarina embarca produtos para as gôndolas coreanas, situação que pode ser incrementada com a possível entrada de exportadores gaúchos e paranaenses neste mercado.

“É preciso ainda um certo tempo até o reconhecimento da Coreia do Sul sobre este status, mas o reconhecimento do país para a certificação da OIE tem potencial de elevar nossa capacidade de fornecimento para estes mercados, gerando oportunidades novas e valiosas para os exportadores brasileiros. A ação de imagem ocorre neste contexto, em que reforçamos à comunidade sul-coreana nossas intenções em fornecer ao país produtos seguros e de alta qualidade”, ressalta Ricardo Santin, presidente da ABPA.

O Brasil é o maior fornecedor de carne de frango para a Coreia do Sul, em números bastante representativos. Cerca de 80% da carne de frango importadas pelo país é proveniente do Brasil. Ao todo, foram embarcadas para lá 127,4 mil toneladas de produtos avícolas brasileiros em 2020, gerando receita de US$ 196,6 milhões. O país é o 8° entre os maiores importadores de carne de frango do Brasil.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.