Sexta-feira, 23 de Julho de 2021
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 054 9 9715-2658
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
23°
11°
22°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo limpo
Ao Vivo:
Colunista e Opinião

Turismo: Uruguai, terra dos nossos verdadeiros Hermanos pela cultura e proximidade

Turismo: Uruguai, terra dos nossos verdadeiros Hermanos pela cultura e proximidade
Praça da Independência em Montevideo
20.07.2021 15h37  /  Postado por: A Folha
Por Claudir Roos

Olá,  caríssimos leitores! Vamos dar continuidade aos nossos roteiros etílicos e, desta vez, voltar para a nossa América. Vamos visitar nosso pequeno vizinho (177.000 km²), especialista em vinhos e o maior produtor de tannat da América, além de ocupar a quarta posição no continente em produção de vinhos e a 27ª posição mundial.

Atualmente os vinhos uruguaios são muito apreciados ao redor do mundo. A tannat, casta originária do sul da França, trazida pelo espanhol Pascoal Harriague, é a principal uva da indústria vinícola do Uruguai. Sua ótima adaptação ao solo e clima da região, fez com que ela fosse e ainda hoje seja a responsável por dar as melhores bebidas aos amantes do vinho no país. Graças aos bons resultados na produção de vinhos dessa uva, hoje se intitula O país do Tannat. Curiosamente, muitos produtores ainda se referem à Tannat como… Harriague!

Esse país pequeno é extremamente acolhedor. Os uruguaios são alegres, receptivos e sempre simpáticos. Difícil não se sentir em casa. As similaridades, que vão desde a paisagem e o clima até a gastronomia são muitas, especialmente em relação ao nosso estado do RS. O fuso horário também é o mesmo que o brasileiro.

O país é adorado e muito frequentado pelos vizinhos argentinos e, cada vez mais, por nós gaúchos e catarinenses, que visitamos muito o país e costumamos até fazer essa viagem em carro.

Colônia do Sacramento

A verdade é que o ideal é desbravar o Uruguai de carro mesmo, pois a maioria dos pontos e cidades de interesse são próximos um dos outros e no caminho sempre se encontra um local interessante para parar. Assim, mesmo em uma viagem curta, é possível conhecer muitos lugares diferentes. Para os que chegam de avião, também existe a facilidade de alugar um carro no país. E ainda existe a possibilidade de chegar em navio, pois muitos cruzeiros que percorrem a costa brasileira fazem uma parada no Uruguai para conhecer todas as belezas do país.

Punta del este

No Uruguai a oferta turística é grande e bastante diversificada. Existem opções para todos os públicos, seja um roteiro romântico para casais apaixonados, diversão para toda a família, momentos de descanso ou até mesmo festas e descontração. As paisagens são lindas e variam entre belas praias, cidades e campos. Cada local possui um estilo e também nos proporciona diferentes opções de atividades. Juntos contam a história desse belo país.

As estações também são bastante definidas, proporcionando aos visitantes variadas opções durante o ano todo. O verão obviamente é alta temporada, especialmente nas praias, que costumam até estar desertas no inverno. Já durante as estações de outono e inverno, vale a pena visitar as cidades, por ser baixa temporada os preços caem bastante e o clima e a paisagem dão um ar elegante ao local. Mas a primavera, na minha opinião é a melhor opção. Nem alta nem baixa temporada, o clima favorece a visita tanto às praias quanto às cidades e aos campos e a linda paisagem é garantida.

Uruguai – História

O Uruguai era originalmente povoado pelos índios Charruas, mas em 1680 os portugueses começaram a se assentar na região; os espanhóis chegaram logo em seguida. O país, como o conhecemos hoje, passou a existir com a declaração de independência em 1828, quando se estabeleceu como República, após vários anos de guerras sangrentas que envolveram Espanha, Portugal, Argentina e o Brasil.

Já nessa época, por influência dos europeus, havia o cultivo de uvas na região, demonstrando que a história da vitivinicultura no Uruguai se confunde com a própria história do país. As primeiras uvas viníferas foram cultivadas em território uruguaio há mais de 250 anos. A produção de vinhos, entretanto, só começou a ser realizada comercialmente na segunda metade do século XIX.

Em 1870, Dom Pascal Harriague introduziu ao Uruguai várias castas de uva em busca de uma que se adaptasse bem ao solo e clima da região. A tannat foi a que se saiu melhor na experiência e desde então, por causa do seu sucesso imediato e duradouro no país, ela dá vida ao autêntico vinho uruguaio.

Principais Variedades de Uvas Tintas

Tannat – 1707 ha;

Merlot – 731 ha;

Cabernet Sauvignon – 468 ha;

Cabernet Franc – 264 ha

Marselán – 130 ha.

Principais Variedades de Uvas Brancas

Ugni Blanc – 674 ha,

Sauvignon Blanc – 141 ha,

Chardonnay – 120 ha.

Regiões vinícolas do Uruguai

O Uruguai não é um país de grandes dimensões, tendo por volta de 500 quilômetros de largura e 450 quilômetros de comprimento. Mesmo assim, há algumas regiões cuja produção se destaca.

Uruguai possui 10 regiões vinícolas: Artigas, Canelones, Colonia, Florida, Paysandú, RíoNegro, Rivera, Salto, San José e Soriano.

A primeira delas é Canelones, que abriga dois terços de todas as vinícolas do país. Fica localizada no Sul, há 50 quilômetros da capital Montevidéu e bem próxima do Oceano Atlântico, o que contribui com seu terroir. A Tannat é a principal uva cultivada na região, mas, recentemente, alguns produtores têm apostado em novas alternativas, como Pinot Noir e até Nero D’Avola.

A segunda região de destaque é Maldonado, também no Sul, porém mais próxima da costa Leste. O clima ameno e ou solo rochoso permitiram o rápido crescimento da viticultura, e suas bebidas têm características que remetem mais aos vinhos europeus.

Canelones – A Região está entre as melhores produtoras de Tannat da América Latina.

A região de Canelones, no Sul do Uruguai, é cercada por uma grande área dominada por pequenas fazendas, vinhedos e fazendas leiteiras. Hoje o departamento concentra 60% das bodegas do país.

Em Canelones o visitante encontra desde as mais tradicionais até as mais luxuosas, modernas e rústicas vinícolas. Tem para todos os gostos.

Algumas das bodegas existentes na região estão associadas a Los Caminos del Vino, associação responsável pela divulgação do enoturismo no Uruguai. Destacamos oito delas: Juanicó, Moizo, Artesana, Marichal, De Lucca Wines, Varela Zarranz, Pizzorno e Viñedo de los Vientos.

Além das vinícolas e do campo, essa região possui mais de 65 km de praia com locais para o descanso, a pesca e atividades náuticas. A região de Canelones também é a origem natural de muitos alimentos consumidos pelos uruguaios.

Muitos especialistas acreditam que essa região possui um dos melhores vinhos Tannat, além de o pôr do sol estar entre os mais espetaculares do país.

Vinícolas familiares e Tradicionais

A bodega Juanicó é a principal do Uruguai e elabora a reconhecida marca de vinhos Don Pascual, chamada assim em homenagem a Don Pascual Harriague – introdutor da cepa Tannat no país.

Um local único, declarado Monumento Histórico Nacional por suas edificações antigas, mantidas intactas até hoje. Uma porção da terra em que se fusionam natureza e vinho fazem do local um despertador dos sentidos.

O visitante percorre os vinhedos, conhece a elaboração e pode saborear os principais vinhos localizados na cava histórica. Saiba mais: juanico.com

Família Moizo é uma bodega bem familiar e artesanal fundada em 1954. Tem tradição vitivinícola piemontesa. Oferece experiências enoturísticas personalizadas, com um atendimento realizado por enólogos da própria família.

O percurso acontece entre os vinhedos, as antigas instalações da vinícola, degustação e gastronomia caseira/familiar. Até hoje é mantido o processo artesanal do vinho conforme feito pelos antecessores na Itália. Saiba mais: bodegamoizo.com

Na Bodega Marichal o visitante é capaz de descobrir o verdadeiro segredo da família em manter o local administrado por quatro gerações. A proposta é apresentar ao turista os vinhedos juntamente a um passeio pelo processo da vinificação na bodega construída em 1938.

Na casa original da família Marichal acontecem as degustações de vinhos acompanhadas das famosas empanadas caseiras, bem como de um almoço campestre com carnes assadas e saladas frescas. Saiba mais: marichalwines.com

De Lucca Wines é uma das bodegas mais antigas do país, foi fundada em 1945. Está na região de El Colorado, é caracterizada por uma administração artesanal, austera, preservando o ecossistema no qual estão plantadas suas cepas, obtendo um vinho de alto valor.

A proposta da De Lucca é que o visitante viaje no tempo por meio de visitas guiadas exclusivamente por integrantes da família, a viagem também inclui Cata de vinhos e passeio personalizado. Saiba mais: deluccawines.com

Viña Varela Zarranz, localizada a 20 minutos do aeroporto de Carrasco, essa vinícola oferece aos turistas em sua paisagem um caminho bordeado de oliveiras e por meio os vinhedos, e ao final a bodega fundada no fim do século 10 – patrimônio da vitivinicultura uruguaia.

A riqueza histórica do local existe até hoje na nave central e na cava subterrânea – abrigo da maior coleção do país de barris de roble francês em uso e as barricas novas que repousam os melhores vinhos da família. A Varela Zarranz oferece visitas guiadas que contam a história do estabelecimento, o processo da elaboração dos vinhos e espumantes naturais, finalizando com degustação e proposta gastronômica de primeiro nível.

A bodega Pizzorno Family States é dedicada à produção de vinhos de alta qualidade, confecciona seu tesouro em pequenas quantidades mantendo assim sua elevada categoria.

Posada Pizzorno

A proposta ao turista é que conheça as instalações e tradição levada adiante por quatro gerações, por meio das visitas guiadas ao vinhedo e à bodega, conhecendo a história da família, a cava, os processos de elaboração do vinho e o turista, pode ainda, realizar degustações personalizadas sempre acompanhadas por um membro da família. pizzornowines.com

Maldonado – Compras e badalação

A 120 quilômetros de Montevidéu e clima ameno praticamente o ano inteiro, a cidade de Maldonado é um verdadeiro tesouro. Aqui, é possível curtir as cabanas da Vinícola Sacromonte,  escolhida pela revista Time como uma das 100 melhores do mundo. A estada no hotel com fachada espelhada que camufla o empreendimento em meio à natureza — é uma experiência à parte. sacromonte.com

Praça San Fernando Maldonado

A vinícola oferece visitas diárias e passeios que incluem uma hora de montanhismo, visita aos vinhedos, almoço e degustação de vinhos. Caso o visitante prefira pode ir somente almoçar.

Cabanas da vinícola Sacromonte

Há também a vinícola Alto de la Ballena, muito conhecida pela qualidade do seu Merlot. Aqui, os visitantes são recebidos com uma rica degustação dos vinhos acompanhados de pães, azeites e queijos. Altodelaballena.com

Carmelo – Experiencias Sensoriais

Casinhas rústicas, paisagens bucólicas e um certo ar de nostalgia prevalecem pelas ruas de paralelepípedo da pequena cidade de Carmelo, no Uruguai. A cidade vem crescendo no cenário turístico do país graças ao fortalecimento da vitivinicultura da região. São oito bodegas bem equipadas para receber os turistas, que oferecem passeios pelos parreirais degustações e almoço harmonizado com vinhos artesanais.

Fundada no século 17, a cidade ainda guarda o charme de antigamente em suas construções e na atmosfera que paira sobre o lugar. Não é raro encontrar moradores andando a cavalo, de bicicleta ou dirigindo carros da década de 1950.

O gosto pelo antigo e a vontade de preservar as raízes faz parte da identidade dos locais, que também são adeptos do “faça você mesmo”. Além dos vinhos, queijos e azeites são os itens mais produzidos por lá.

Conhecer a vinícolas em Carmelo é também um grande motivo para visitar esta cidade, que possui uma promissora rota de vinhos. Vou descrever algumas  vinícolas familiares na pequena cidade, que recebem turistas, todas diferentes e muito charmosas.

  • Campotinto e La Concordia

A Campotinto é uma vinícola pequena e faz parte de um projeto que une pousada, restaurante, condomínio de vinhos e sua produção própria. Vale a pena reservar e conhecer Daniel Cis, o enólogo que trata da produção do Campotinto 2014, vinho que ganhou medalha de ouro entre os vinhos uruguaios pelo Vino Sub30.

  • Cordano e Armazen de la Capilla

A cordano é uma vinícola pequena e antiga, que utiliza o antigo armazém para a venda de produtos feitos na região. O doce de leite e as balas de vinho tannat são imperdíveis. As balas lembram os cones de açúcar do interior da Bahia, deliciosas!

Toda a produção é manual e consumida principalmente na própria região. Inicialmente, a bodega trabalhou apenas com vinho de mesa, em 1855, seu precursor Don Angel Cordano veio da Itália com as primeiras cepas da uva Criolla.

  • Los Cerros de San Ruan

Na estrada que liga Carmelo a Colônia do Sacramento está a Cerros de San Juan, estância histórica com vários prédios em ruínas e outros em funcionamento. Considerada  a bodega mais antiga do Uruguai, de 1854, começando a produção de vinhos em 1867/69. Dois povoados se desenvolveram em volta do vinhedo, até que parte da fazenda foi vendida a uma família espanhola.

A vinícola se tornou Patrimônio Histórico do Uruguai em 2004, o que explica o excelente estado de suas instalações. Hoje vivem cerca de 1200 pessoas na localidade, onde se produz mel, azeite de oliva, além dos vinhos.

Desde 2013 se produz um vinho com 5 variedades de uvas, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Tannat, Merlot e Tempranilho e os vinhos brancos com as cepas Riesiling, Salvignon Blanc e Chardonnay. Nos impressionou muito o Mil Botellas, vinho feito com 30% de Tannat, 30% de Cabernet Sauvignon , 30% de Merlot, 5% de Tempranillo y 5% de Pinot Noir. Tantas uvas e um impressionante equilíbrio.

Um ponto imperdível do lugar é a visita ao antigo escritório subterrâneo que abriga uma “biblioteca” dos vinhos produzidos pela Cerros de San Juan ao longo destes mais de 160 anos e que hoje é um atrativo.

A biblioteca dos vinhos de San Ruan – 160 anos de história

Amigos leitores, na próxima semana vamos descrever as demais regiões. Obrigado pelo  incentivo ao nosso trabalho e  tem muito vinho, Parillada, Chivito e Alfajors pra próxima edição do nosso vizinho Uruguai…

Boa semana! Bons Vinhos! Gute Reise! Tim-Tim!

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.