Sábado, 28 de Maio de 2022
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 054 9 9715-2658
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
18°
14°
15°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo nublado
Ao Vivo:
Agronegócios

Expointer 2021: mercado aquecido faz ovinos superarem inscritos da edição 2019

Expointer 2021: mercado aquecido faz ovinos superarem inscritos da edição 2019
18.08.2021 10h33  /  Postado por: A Folha
Por Elaine Pinto/Ascom Seapdr

O número de animais de argola inscritos para a Expointer 2021 – 2.820 –, embora menor do que o da edição de 2019 (3.975), a última antes da pandemia, surpreendeu. Entre as categorias de animais, a que ajudou a puxar o total de inscrições foi a de ovinos, com aumento de 3,58% na comparação com 2019: neste ano, devem participar da Expointer 810 ovinos, de 14 raças e suas variedades naturalmente coloridas. Além de cabanhas gaúchas, propriedades de São Paulo, Paraná e Santa Catarina inscreveram exemplares para a feira.

Para o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), Edemundo Gressler, o número expressivo de inscrições reflete o bom momento que vive a ovinocultura. “Em 2020, mesmo com a questão da pandemia, não paramos: os criadores permaneceram em suas propriedades, continuaram investindo em genética, não pararam de produzir”, avalia.

Opinião compartilhada pelo coordenador da Câmara Setorial de Ovinocultura, André Camozzato. “Devido ao cancelamento das feiras no ano passado, a demanda dos expositores ficou protelada para 2021. Os negócios entre produtores não pararam durante a pandemia, e o mercado da carne de cordeiro segue aquecido, então é uma soma de fatores positivos que levou a esta significativa inscrição de ovinos”, pontua.

Outro fator importante é o peso que a participação na Expointer tem para o setor. “No fundo, todo mundo estava muito esperançoso com o retorno das exposições. E a Expointer é praticamente a abertura anual do ciclo das exposições. O pessoal já vinha se organizando nas suas propriedades para mostrar todo o potencial genético das suas raças”, informa o presidente da Arco.

Por serem animais suscetíveis à febre aftosa, a retirada da vacinação também influenciou na participação de ovinos de outros Estados, principalmente Santa Catarina e Paraná, que compartilham hoje o mesmo status sanitário que o Rio Grande do Sul. “Este status de zona livre sem vacinação veio a contribuir também para fortalecer a presença de animais destes Estados”, afirma Edemundo Gressler.

Nas inscrições para a Expointer 2021, também houve aumento em caprinos, que passou de 45 para 47 exemplares.

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Página Inicial e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Prosseguir