Sexta-feira, 01 de Julho de 2022
Telefone: (54) 3332-1699
Whatsapp: 054 9 9715-2658
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
19°
18°C
Não-Me-Toque/RS
Tempo limpo
Ao Vivo:
Saúde

HSVP de Passo Fundo não registra casos de hepatite infantil até o momento

HSVP de Passo Fundo não registra casos de hepatite infantil até o momento
Foto: Divulgação | Comunicação HSVP Passo Fundo
19.05.2022 08h56  /  Postado por: A Folha

No dia 06 de maio, o Ministério da Saúde informou que monitorava sete casos suspeitos de um tipo de hepatite aguda infantil.

Nesse sentido, a pediatra Stefania Simon Sostruznik comenta que se vive um período de muitos casos de infecções virais, especialmente por vírus sincicial respiratório e influenza, além do coronavírus.

 “Até o momento, não temos casos de hepatite diagnosticados no Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo, embora todos os pediatras estejam mais atentos aos sintomas e monitorizado casos virais com exames para avaliação de hepatite”, enfatiza a médica.

“Acredita- se que o sistema imunológico das crianças esteja mais reativo e por isso desenvolvendo mais atividade inflamatória relacionada aos processos virais, levando a quadros de hepatite”, acrescentou.

A pediatra Stefania Simon Sostruznik comenta que se vive um período de muitos casos de infecções virais

Stefania salienta que a hepatite não há relação com as vacinas, mas sim uma reação imunológica individual de cada indivíduo a um processo infeccioso.

“Crianças com quadros virais que desenvolvem icterícia (coloração amarelada na pele, mudança na cor da urina ou fezes, dor abdominal/vômitos ou diarreia) devem ser examinadas e solicitados exames laboratoriais específicos a fim de se diagnosticar a hepatite”, explicou a pediatra.

Além disso, ela lembra que os pais devem procurar ajuda médica caso a criança tenha esses sintomas ou febre persistente, além de dificuldade na aceitação alimentar ou hidratação.

“Deve ser evitada a ida a hospitais neste momento, exceto em casos graves, pois a demanda de atendimentos por infecções virais está muito grande, levando a criança ao risco de adquirir doenças”, finaliza Stefania.

 

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Página Inicial e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Prosseguir