Passo Fundo/RS: Chuvas esparsas
Carazinho/RS: Chuvas esparsas
Passo Fundo/RS: Chuvas esparsas
Carazinho/RS: Chuvas esparsas

Notícias

Técnica foi conduzida por médicos radiologistas intervencionistas do Corpo Clínico do HSVP com apoio de médicos nucleares da Clínica Kozma

21 de dezembro de 2023

HSVP realiza procedimento inédito no Rio Grande do Sul para tratamento de tumor neuroendócrino com lutécio-177

O Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo, realizou um procedimento inédito no Rio Grande do Sul para o tratamento de um tumor neuroendócrino com infusão de lutécio-177 intra-arterial. A técnica foi conduzida pelos médicos radiologistas intervencionistas do Corpo Clínico do HSVP, Dr. Guilherme de Araújo Gomes e Dr. Mateus Picada, com apoio dos médicos nucleares da Clínica Kozma, Dr. Stephan Pinheiro Macedo de Souza e Dr. Rafael Saretta Portugal, e do oncologista Dr. Pedro Lourega.

A paciente, de 71 anos, está tratando um tumor neuroendócrino no cólon com metástase no fígado. Segundo o Dr. Guilherme, esse tipo de neoplasia se origina nas células neuroendócrinas e libera hormônios no sangue em resposta a um sinal nervoso. “Esses tumores podem ocorrer em diferentes partes do corpo, como pulmões, pâncreas, trato gastrointestinal e outros órgãos. O tratamento pode variar dependendo do tipo de tumor, do estágio, da localização e de outros fatores individuais do paciente”, detalha.

Conforme o médico, o lutécio-177 é um radiofármaco acoplado a um análogo da somatostatina (DOTATATO) e é administrado aos pacientes por meio de uma injeção intra-arterial. “Por meio de uma punção na virilha, finos cateteres são avançados por dentro dos vasos até o interior da artéria hepática. O radiofármaco lutécio-177, após infundido, promove a destruição dos tumores no fígado, sem cortes, cicatrizes e com rápida recuperação. O paciente recebe alta no dia seguinte”, explica.

Por ser um procedimento minimamente invasivo e que não necessita de cirurgia para tratar o tumor, a técnica pode ser aplicada para pacientes de diferentes idades. “Desde mais novos até pacientes mais idosos, desde que medidas de precaução sejam tomadas em pacientes com comorbidade, doenças renais crônicas ou toxicidades hematológicas relacionadas ao tratamento quimioterápico de longa data”, complementa.

Dr. Guilherme ressalta, ainda, que o procedimento realizado no HSVP foi satisfatório. “Esta técnica representa um grande avanço no tratamento dos tumores neuroendócrinos, já que uma maior dose do radiofármaco é infundida diretamente no tumor, aumentando a eficácia do tratamento e permitindo melhores respostas principalmente para tumores maiores ou multifocais e disseminados no fígado. Acreditamos que poderemos trazer a melhora e até a cura para muitos casos de tumores neuroendócrinos metastáticos com esta nova abordagem”, concluiu o médico.

O médico nuclear da Clínica Kozma, Dr. Stephan Pinheiro Macedo de Souza, reforça que o procedimento depende da união da medicina nuclear com a radiologia intervencionista para a entrega do tratamento mais personalizado possível. “Tive a oportunidade de acompanhar o primeiro caso da América Latina anos atrás e agora é um orgulho fazer isso aqui. É como um casamento que representa a mais moderna medicina de precisão. O trabalho conjunto do HSVP e Clínica Kozma coloca Passo Fundo na vanguarda da medicina internacional”, afirma.

 

Créditos: Liliane Ferenci - Comunicação HSVP

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir