Passo Fundo/RS: Chuvas esparsas
Carazinho/RS: Chuvas esparsas
Passo Fundo/RS: Chuvas esparsas
Carazinho/RS: Chuvas esparsas

Notícias

Ministério da Agricultura já programa reescalonamento das dívidas de produtores e abertura de linhas de crédito adicionais | Foto: Pixabay

30 de janeiro de 2024

Queda no preço da soja reacende medo de quebras no campo

A queda no preço da soja para o menor patamar desde 2020 somada à estimativa de redução na safra de 2024 reacenderam um medo no agronegócio: a volta dos pedidos de recuperações judiciais (fase pré-falência) por causa da alta alavancagem do setor.

Entidades da área, como a Aprosoja Brasil (Associação Brasileira dos Produtores de Soja), e o Ministério da Agricultura monitoram os riscos. E já programam eventuais reações para o caso de a situação piorar....

O preço da tonelada da soja na Bolsa de Chicago, cotação referencial da commodity, é o mais baixo para janeiro desde 2021. Os preços mais altos da história foram em 2022 e em 2023. A redução nas margens de lucro ameaça a capacidade de honrar dívidas das empresas.

O cenário remonta ao ano de 2015. Houve queda de 26% no valor da soja na comparação com o ano anterior. Gigantes do agronegócio daquele ano, como a Pinesso e o Grupo Bom Jesus, pediram recuperação judicial.

Em 2024, até 22 de janeiro, a queda é de 21%.

Queda nas estimativas

O estresse hídrico reduziu as previsões de colheita do grão. As perdas são decorrentes do efeito El Niño nas lavouras e já fazem parte das previsões de algumas das principais consultorias do mercado –leia este texto do articulista do Poder360 Bruno Blecher a respeito do tema.

As novas estimativas levam em conta o estresse hídrico e o excesso de chuvas durante a colheita nos Estados do Centro-Oeste, como Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul, além da região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).

Para a Aprosoja Brasil, a safra brasileira de soja não deve ultrapassar 135 milhões de toneladas, estimativa bem abaixo das divulgadas por consultorias e instituições públicas, como a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

Em Mato Grosso, maior produtor do país, 6% da área da soja teve que ser replantada por causa da falta de chuvas e do calor. São mais de 700 mil hectares do total de 12,1 milhões de hectares destinados à soja no Estado, segundo levantamento do Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agrícola).

O instituto estima produtividade de 57,87 sacas por hectare nesta safra –queda de 7% em relação à produção de 2022/2023.

A Conab divulgou em 10 de janeiro de 2024 a sua 4ª projeção de safra, avaliada em 306,4 milhões de toneladas. Representa queda de 13,5 milhões de toneladas em relação a 2022/2023, quando foi de 319,9 milhões de toneladas.

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, em português) estima 157 milhões de toneladas para a temporada, próxima do governo brasileiro –155 milhões de toneladas do grão.

Ministério acompanha

O Ministério da Agricultura escalou a SPA (Secretaria de Política Agrícola) para estudar possíveis reações a esse cenário. É comandada pelo ex-ministro Neri Geller (PP), que também é produtor rural....

O ministério de Carlos Fávaro disse que estuda duas medidas:

  • mais prazo – reescalonamento das dívidas contraídas por produtores (com ajuda de bancos públicos), para que tenham capacidade de pagamento;
  • mais crédito – criação de linhas de crédito de capital de giro para cooperativas, como foi feito no Rio Grande do Sul....

— O Ministério da Agricultura e Pecuária reforça seu compromisso com a defesa e proteção de produtores rurais de todo o Brasil e assegura que o ministro Carlos Fávaro e toda a equipe ministerial estão comprometidos com a adoção das medidas necessárias e aplicáveis no âmbito das atribuições do governo federal —, disse o Ministério da Agricultura.

Fonte: Poder 360

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir