Passo Fundo/RS: Tempo limpo
Carazinho/RS: Tempo limpo
Passo Fundo/RS: Tempo limpo
Carazinho/RS: Tempo limpo

Notícias

Frio intenso chega na maioria dos anos em junho, mas às vezes as primeiras fortes incursões de ar polar ocorrem em maio e mais raramente em abril | Foto: Pixabay

25 de março de 2024

O frio intenso chega mais cedo neste ano?

O frio intenso vai chegar mais cedo neste ano? Esta é uma curiosidade permanente do público a cada começo de outono, todos os anos, afinal a estação marca a transição do verão para o inverno e já chegou a ter episódios de neve em abril e massas de ar polar extremamente fortes no mês de maio com marcas abaixo de zero e muita geada em estados do Centro-Sul do Brasil.

Um exemplo recente na história climática brasileira se deu no começo da segunda quinzena de maio de 2022 com uma enorme massa de ar polar e de grande intensidade que trouxe frio muito intenso em vários estados. Foi o ar polar impulsionado pelo ciclone Yakecan, que até neve causou em Santa Catarina. Gama, com 1,4°C, teve a menor mínima no Distrito Federal desde o início das medições em 1963. São Paulo anotou a menor temperatura em maio desde 1990. Goiânia e várias outras cidades tiveram o maior frio desde 1977.

Ou seja, foi um evento tão extraordinário de frio de outono que a maioria das cidades do Centro do Brasil que anotaram mínimas históricas em maio de 2022 não registraram depois marcas tão baixas no decorrer do inverno. Um exemplo clássico de frio muito intenso cedo.

Então, fica a pergunta. Teremos frio intenso cedo neste ano? Para buscar a resposta é preciso enxergar o que os modelos numéricos mostram e o que a história, por analogia, revela sobre anos passados que apresentaram condições semelhantes nos primeiros três meses do calendário. Em 2024, o clima de longo prazo na temperatura se torna ainda mais desafiador e difícil em termos de previsão com o aquecimento acelerado do planeta em curso.

Os modelos de previsão de mais curto prazo possuem prognósticos para até dez ou quinze dias. Já os modelos de médio prazo, como o europeu e o norte-americano CFS, chegam a ter prognósticos para 40 dias, sejam diários ou semanais.

Intervalo maior de 40 dias apenas em modelos de clima que trazem tendência apenas mensal, que pode mascarar episódios de frio intenso de curta duração, afinal um mês pode ter uma semana gelada e três quentes, o que fará com que o mês termine com temperatura acima da média.

Analisando os dados destes modelos com previsões para até 40 dias, ou seja, até o fim de abril, nenhuma simulação indica grande massa de ar polar até o final do próximo mês, embora apontem ingresso de ar mais frio no Sul do Brasil na segunda metade de abril. Claro, em se tratando de uma tendência para 40 dias, mudanças podem ocorrer. Mas, hoje, os dados não indicam nenhuma incursão de ar muito gelado.

E a história? O que mostra? Meteorologistas trabalham com uma técnica chamada de analogia em que são buscadas referências do passado em anos semelhantes ao em andamento. Nos Estados Unidos, dois anos passados têm sido muito mencionados pela proximidade climática com 2024: 1973 e 1998. Ambos começaram com El Niño forte e depois tiveram La Niña.

Anomalias de temperatura no Brasil em abril em 1973 e em 1998 | INMET

Com base em dados de Porto Alegre, o primeiro frio de maior intensidade do outono em 1973 foi ocorrer apenas em maio, na segunda semana, com mínimas de 9,8ºC no dia 11; 9,9ºC no dia 12; e 9,5ºC no dia 13. No restante do mês, mínima de um dígito somente ocorreria no dia 23 com 9,6ºC. Em junho, a primeira mínima de um dígito do mês só foi ocorrer no dia 15, quase no fim do outono, com 7,5ºC.

Já em 1998, no começo de abril houve algumas madrugadas pouco frias com 12ºC a 13ºC, logo nada de relevante. A primeira mínima de um dígito só veio a ser dar no dia 5 de maio com 9,7ºC. O restante de maio não foi nada frio, mas a primeira semana de junho teve uma sequência de madrugadas com mínimas abaixo de 10ºC, a mais baixa de 7,1ºC, no dia 4.

Em 2016, último ano de transição de forte El Niño para La Niña, o frio chegou na última semana de abril. A capital teve mínimas no Jardim Botânico de 11,4ºC no dia 26; 9,5ºC no dia 27; 7,2ºC no dia 28; 6,8ºC no dia 29; 8,0ºC em 30 de abril; 7,5ºC no dia 1º de maio; 8,2ºC no dia 2 de maio; 12,9ºC no dia 3; 10,8ºC no dia 4; 11,1ºC no dia 5; e 12,3ºC no dia 6. Foi, assim, um episódio forte de frio e ainda prolongado entre o fim de abril e o começo de maio.

Anomalias de temperatura no Brasil em maio e junho de 2016 | INMET

Mais tarde naquele mês, novas incursões de ar frio trouxeram temperatura baixa. Porto Alegre teve 7,0ºC no dia 18; 6,8ºC no dia 19; 8,5ºC no dia 20; 9,0ºC em 23 de maio; e 7,1ºC no dia 24. Não houve um dia sequer de calor em maio de 2016 na capital gaúcha, logo sem ocorrência de veranico.

Em síntese, o cenário mais provável não indica uma massa de ar polar intensa tão cedo, embora devam ocorrer incursões de ar frio de menor ou média intensidade, como se viu no final da semana passada depois da passagem da frente fria pelo Sul do Brasil. O mais provável é que o frio de maior intensidade chegue em maio, com maior probabilidade na segunda metade do mês, ou na primeira metade de junho.

Em 2016, aliás, último ano que o clima passou de El Niño para La Niña, o mês teve um elevado número de noites muito frias. Em Porto Alegre, por exemplo, foram 19 dias com menos de 10ºC. Já os dias com menos de 5ºC de mínima foram cinco com uma sequência de madrugadas com mínimas na casa de 3ºC. No interior gaúcho, a grande maioria dos dias em junho de 2016 anotou marcas negativas.

Modelos de clima se dividem sobre junho no Sul do Brasil. Uns indicam temperatura acima da média, aliás a maioria, e alguns apontam temperatura abaixo da média. Uma vez que o Pacífico Leste estará passando por forte resfriamento, não se pode descartar um episódio de frio mais significativo em junho, o que, a propósito, não fugiria do padrão histórico do mês de em muitos anos ter eventos de frio intenso.

Fonte: MetSul Meteorologia

TAGS: Outono, frio, calor, clima

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir