Passo Fundo/RS: Tempo limpo
Carazinho/RS: Tempo limpo
Passo Fundo/RS: Tempo limpo
Carazinho/RS: Tempo limpo

Notícias

A federação das associações comerciais escolheu o dia da mentira para realizar o protesto Foto: Divulgação Federasul

2 de abril de 2024

Entidades lideranças e população protestam contra aumento de impostos na Praça da Matriz

Foto: Federasul/Divulgação

Trabalhadores rurais e da cidade, políticos de diferentes matizes ideológicas e empresários se reuniram em ato na frente do Palácio Piratini, contra os decretos de retirada de incentivos fiscais do governador do RS, Eduardo Leite, ne segunda-feira (1º de abril). Cerca de 600 pessoas aderiram ao movimento proposto pela FEDERASUL, vindas de várias partes do Estado para se manifestarem de maneira ordeira contra qualquer aumento de impostos.

A federação das associações comerciais escolheu o dia da mentira para realizar o protesto, cobrando a promessa do governador Eduardo Leite na sua campanha eleitoral, que não aumentaria impostos.

—Estamos todos aqui exigindo que o governador cumpra com a promessa de não aumentar impostos, para que cumpra sua palavra, aquilo que ensinamos para nossos filhos, que mantenham as palavras—, afirmou o presidente da Federasul, Rodrigo Sousa Costa, na abertura do evento. Diante de trabalhadores e empresários, da direita à esquerda, destacou que “representamos uma maioria silenciosa que não aceita mais pagar impostos para cobrir os rombos dos governos”.
—Já nos dividiram por tempo demais. Há valores que unem os gaúchos—, afirmou. O presidente também criticou o modo como o governador vem tratando o tema. Para ele, o chefe do Executivo continua impondo sua vontade mesmo quando a maioria do parlamento, entidades empresariais e sindicatos de classe têm exposto posição contrária a qualquer aumento de impostos. “Não é com chantagem que se negocia”, afirmou o presidente da federação.

Constrangimento

O presidente da Federasul também criticou a forma como Leite conduziu o diálogo com entidades, tendo como ponto principal a última reunião chamada pelo governo, na semana passada. O governador voltou a defender o aumento de ICMS, não fornecendo alternativas e tentando “dividir” os presentes. “Algumas entidades acabaram constrangidas” a aceitar o proposto pelo governo.
No entanto, Costa segue defendendo a união do povo, empresariado, políticos de diferentes posições, para conseguir mais uma vitória, como a ocorrida na aprovação da PDL que critica os decretos. “É um momento histórico, estamos abrindo mão de nossas desavenças ideológicas por um futuro”, finalizou.

A federação das associações comerciais escolheu o dia da mentira para realizar o protesto
Foto: Divulgação Federasul

Parlamentares

Vários parlamentares, das casas legislativas em nível municipal, estadual e federal, estiveram presentes no evento. Confira algumas declarações.

“É um engodo (os decretos). Eu desafio um único empresário a dizer nas redes sociais que é favor a aumento de impostos”.
Deputado Federal Giovani Cherini

“Somos contra qualquer aumento de impostos. Essa luta é nossa, dos gaúchos”.
Deputada Estadual Kelly Moraes

“Quem acha que é sobre esquerda ou direita não entendeu o século que vivemos. É uma divisão entre Estado e povo. Entre quem quer trabalhar e quem quer viver do trabalho dos outros”
Deputado Federal Marcel van Hattem

“Nós queremos outra solução. O governo que corte na própria carne”.
Deputado Estadual Felipe Camozzatto

“Esse aumento vai fazer com que nós percamos empregos para outros Estados e países do Mercosul”.
Vereadora de Porto Alegre Fernanda Barth

“Nós vamos trabalhar até o último minuto para que o RS não tenha aumento de impostos. É possível”
Deputado Estadual Paparico Bacchi

“Se não fosse isso (a mobilização unida do povo gaúcho), os decretos já estariam em vigor”
Deputado Estadual Rodrigo Lorenzoni

“Estamos falando de aumento no preço da comida da cesta básica, o mais básico para crianças se desenvolverem, estou falando como mãe e sei a importância de uma alimentação de qualidade”.
Vereadora de Porto Alegre Comandante Nadia

Entidades

Outros líderes e representantes de entidades de todos os setores também falaram durante o protesto. Confira:

“O produtor rural é contra qualquer tipo de aumento de imposto. É uma chantagem política.”
Presidente do Sindicato Rural de Pelotas, Augusto Rassier

“Nós estamos aqui representando enorme maioria silenciosa e contrária aos decretos.
A Federasul representa 194 entidades que são unânimes em dizer não ao aumento de impostos”.
Presidente do Conselho Estadual da Mulher Empreendedora, Simone Leite.

“Aumentar imposto não resolve nada. Os poderes estão se auto remunerando sem levar em consideração o orçamento”
Presidente da Associação Gaúcha do Varejo, Vilson Noer

“O comércio já vem sofrendo muito por causa da entrada de produtos asiáticos. Nós temos outras possibilidades (ao invés de aumento de impostos). Nós nunca estaremos a favor de tirar o dinheiro do bolso do trabalhador.”
Presidente do Sindilojas-Porto Alegre, Arcione Piva

“7% do PIB passa por nossas portas todos os dias (dos supermercados). Não toleramos aumento no leite, nem no hortifruti, nem na carne”
Vice-presidente do Grupo Peruzzo, Lindonor Peruzzo Jr.

Fonte: Federasul

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir