Passo Fundo/RS: Chuvas esparsas
Carazinho/RS: Chuva
Passo Fundo/RS: Chuvas esparsas
Carazinho/RS: Chuva

Notícias

13 de abril de 2024

Muriel Gaiteiro lança sua primeira música autoral

Por Helaine Gnoatto Zart / AFolha

Aos 11 anos de idade, o guri que toca e canta desde os 5 anos, tomou gosto pela gaita admirando o avô materno. Desde o início, vem recebendo acompanhamento para estudo do instrumento e também aulas de canto. Disciplinado, toca e canta com muito gosto, com entusiasmo espontâneo que faz dele um guri carismático e talentoso.

Faz tudo com apoio dos pais, Milene Guadagnin Kirst e Derli Kirst, que controlam a agenda de compromissos, sem deixar de priorizar a escola, a catequese e a família. Além dos amigos de sua idade, do futebol e de dançar na invernada mirim do CTG Galpão Amigo, ainda mantém fortes laços com grandes gaiteiros do Rio Grande do Sul, os quais fez questão de homenagear em sua primeira música autoral gravada em estúdio e distribuída nas suas redes sociais e no Spotfy. Antes, Muriel já tinha gravado com Ju Spavanello e Valentina Corrêa, músicas do álbum “Infância no Galpão”.

Piá Gaiteiro”, com letra e música de Nenito Sarturi e Xuxu Nunes, lançada no dia 8 de abril, já soma em torno de 2.1 mil visualizações no Youtube.

O vencedor de muitos rodeios e festivais, como Coxília Nativista, Canto Galponeiro e Moenda da Canção, reconhece seus ídolos na letra da música “Piá Gaiteiro”: Edson Dutra, João Luiz Corrêa, Gilberto Monteiro, Beto Caetano, Luiz Carlos Borges, Albino Manique, Gildinho (Monarcas), Adelar e Honeyde Bertussi, e por fim, Reduzino Malaquias.

Confira nas redes sociais @murielgaiteiro

Youtube

https://abrir.link/QItBF

Spotfy

https://abrir.link/DXVvi

PIÁ GAITEIRO

Nenito Sarturi/Xuxu Nunes

Sou piazito que no peito trago

O legado dos meus ancestrais,

A essência, as coisas do pago

E as lições dos avós e dos pais...

No meu canto preservo a cultura,

Do meu modo sou sempre aprendiz,

Tenho a fibra da seiva mais pura

De quem nunca esqueceu da raiz!

Vou seguindo no pampa sulino

Meu destino é tocar e cantar:

Abro a gaita e não perco meu tino

Basta ter alguém pra me escutar.

Meu brinquedo foi esta chorona

Que é a dona do meu coração,

E os acordes da minha cordeona

Dão guarida pra minha canção!

Trago o jeito de um Edson Dutra,

Do João Luiz eu carrego o entono,

A emoção de um Gilberto Monteiro

E a virtude de um Beto Caetano.

Meus heróis são os grandes gaiteiros

Que trouxeram o Rio Grande até aqui:

São o Borges, o Albino, o Gildinho,

Que embalam meu sonho guri...

Do Honeyde, Adelar, Reduzino,

Guardo o tino e a alma estradeira

E em meu mundo de piá campesino

São um "Norte" para a vida inteira!

Vou seguindo no pampa sulino

Meu destino é tocar e cantar:

Abro a gaita e não perco meu tino

Basta ter alguém pra me escutar.

Meu brinquedo foi esta chorona

Que é a dona do meu coração,

E os acordes da minha cordeona

Dão guarida pra minha canção!

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir