Passo Fundo/RS: Tempo nublado
Carazinho/RS: Chuvas esparsas
Passo Fundo/RS: Tempo nublado
Carazinho/RS: Chuvas esparsas

Notícias

Mancha sobre a região de Lajeado, Arroio do Meio e Estrela na cheia de setembro de 2023 - Crédito - Divulgação

7 de maio de 2024

Universidades convocam população para mapear os impactos dos eventos climáticos recentes no Rio Grande do Sul 

Mancha sobre a região de Lajeado, Arroio do Meio e Estrela na cheia de setembro de 2023 - Crédito - Divulgação

Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS e a Universidade do Vale do Taquari - Univates estão convocando a população de todas as regiões do Rio Grande do Sul para realização do mapeamento dos locais onde aconteceram deslizamentos de terra e que foram atingidos pelas cheias históricas dos diversos rios que banham o Estado.

Confira como ajudar a seguir. O objetivo é criar um “Mapa Cidadão” com informações prestadas pela população para que, posteriormente, esses dados sirvam para embasar estudos científicos e trabalhos técnicos. As imagens e as localizações informadas pela população serão, também, cruzadas com dados e softwares especializados para atualização de modelagens.

Comunidade pode contribuir com o Mapa Cidadão? 

1 – Caminhe com o celular até o local onde ocorreu o deslizamento ou onde você sabe que foi o limite da inundação - Desde que seja seguro!

2 – Clique no link wa.me/555133087976 ou adicione o contato do IPH/UFRGS no seu Whatsapp (+55 51 3308 7976).

3 – Na conversa, clique no ícone de clipe e escolha "Localização", e em seguida “Localização Atual”.

4 – Compartilhe a foto do local, clicando no clipe e escolhendo a opção “Câmera”, e em seguida tirando uma foto do local atingido.

5 – Fique à vontade para mandar mais informações como data e hora da ocorrência ou qualquer outro detalhe adicional.

6 – Pronto! Você contribuiu para o Mapa Cidadão!

Ciência cidadã

A atividade é uma oportunidade de a população local participar do processo científico. A ciência cidadã é uma abordagem colaborativa na qual membros do público em geral, muitas vezes sem formação científica formal, participam do processo científico. Isso envolve a coleta, análise e interpretação de dados científicos, bem como a contribuição para a formulação de perguntas de pesquisa e a disseminação dos resultados.

No caso em específico, a comunidade local do Rio Grande do Sul, que foi afetadas pelas cheias e pelos deslizamentos de terra, pode participar munindo os pesquisadores de dados que, sem a participação das pessoas, seriam de difícil acesso devido à amplitude do mapeamento que está sendo proposto. 

Ilustrativa para WhatsApp - Crédito - Lucas George Wendt

Experiência exitosa

Nas cheias que atingiram o Vale do Taquari em 2023, a população foi convocada a ajudar e o esforço colaborativo rendeu um mapa atualizado da cheia que pode ser conferido aqui.

Extensão do evento 

Conforme dados de 7 de maio de 2024, no momento, já são 90 mortos, 132 desaparecidos e 361 feridos. Há 203,8 mil pessoas fora de suas casas no RS. O Estado tem 388 (78%) dos seus 497 municípios com algum relato de problema relacionado a esse evento climático. Estima-se que sejam 1,3 milhão de pessoas afetadas.

Texto: Redação Univates
Nível d’água da mancha de inundação estimada por meio de modelagem hidrodinâmica no Vale do Taquari na cheia de setembro de 2023 - Crédito - Divulgação

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Permitir